BIO!

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dentes com cárie que naturalmente, sozinhos, conseguem se regenerar sem o uso de obturação. Ou algo parecido. Conseguir essa façanha era o objectivo de um cientista brasileiro que liderou estudo publicado no na revista "Scientific Reports", do grupo Nature.

Para o tratamento de cáries, normalmente uma visita ao dentista e realização da famosa obturação (ou a aplicação de géis) são suficientes para tudo voltar ao "normal". Contudo, nos casos mais graves, em que polpa do dente acaba exposta, mesmo o melhor tratamento disponível hoje modifica a estrutura natural dentária. Nele, o buraco causado pela cárie é vedado e preenchido por uma espécie de cimento, o MTA.

 

Foi em busca de formas mais naturais de tratar o problema que Vítor Neves, doutorando bolsista do programa federal Ciência sem Fronteiras, junto a uma equipa de Londres, iniciou sua pesquisa. A ideia da equipe foi utilizar e estimular as já conhecidas células-tronco presentes na polpa do dente.

Primeiro, os pesquisadores fizeram buracos que chegavam à polpa dos dentes molares de ratinhos. Eles escolheram especificamente esses dentes pela semelhança fisiológica com os dos humanos – os incisivos dos roedores crescem durante toda a vida.

Depois disso os cientistas encharcavam uma minúscula esponja biodegradável de colágeno com uma droga chamada tideglusib. Esse medicamento, que estimula a multiplicação e a regeneração celular, já foi testado para tratamento de demências, como a doença de Alzheimer.

O próximo passo era colocar a esponja no buraco criado e observar os resultados pelas seis semanas seguintes.

Após esse período, os pesquisadores observaram a recuperação total da dentina afectada do roedor e o desaparecimento da esponja. Segundo eles, o tideglusib serve como uma superestimulante para as células-tronco que irão reparar o dente.
"O modelo é baseado na biologia de diferenciação celular. É realmente estimular o potencial natural do dente. A gente viu que ele conseguiu se reparar sozinho", diz Neves.

O cientista afirma que um dos diferenciais da pesquisa é que tudo o que foi usado no tratamento já é conhecido de estudos anteriores. 

DESAFIOS
Um dos maiores desafios da continuidade da pesquisa, segundo Neves, é a escala.
Os dentes dos ratos são extremamente pequenos. Desse modo, para garantir o funcionamento do tratamento, a equipa já iniciou testes em animais maiores – ratazanas.

"Vamos tentar aumentar o tamanho da cárie. Se a gente conseguir tratar essa lesão maior, passamos para humanos", diz Neves. Com as diferenças de tamanho, algumas adaptações serão necessárias, como a concentração e a quantidade da droga usada.

Se tudo correr como esperado pela equipe, testes em humanos serão possíveis durante 2018 e, quem sabe, o tratamento já poderia ser aplicado por dentistas em cerca de cinco anos.

Neves afirma que não há risco de intoxicação relacionada ao tratamento, já que a quantidade utilizada da droga é muito pequena, na casa dos picogramas (um trilionésimo de um grama).

Para José Imparato, presidente da ABO (Associação Brasileira de Odontopediatria) e professor da USP, a proposta é extremamente interessante e sem similares na literatura científica actual. O tratamento, porém, seria destinado somente aos casos mais graves de cárie, quando há exposição da polpa.

Imparato afirma que hoje esse tipo de caso é mais difícil de ser encontrado. "Cada terapia que surge consegue preencher uma lacuna", afirma. Para ele, tratamentos mais comuns e disponíveis continuarão necessários para muitos casos.

Imparato também destaca a naturalidade envolvida no processo (com estimulação para o próprio dente se regenerar e a esponja biodegradável), mas diz que "para dente humano, que é maior, precisa de mais estudo".

Além dos testes laboratoriais já realizados com ratos, está prevista uma nova bateria de ensaios, para demonstrar a sua eficácia a uma escala humana, a fase seguinte do processo. Muita gente, em alguma determinada fase da sua vida, sofre de cárie. São muito raras as pessoas que não sofrem de cáries, tirando algumas tribos e muitos africanos em África.

 

Técnica inovadora permite tratar as cáries sem o uso de broca

A empresa alemã DMG, juntamente com a Universidade de Kiel, desenvolveu um tratamento para tratar as cáries sem o uso de broca, em apenas 15 min. O novo método está indicado para cáries recentes depositadas sobre o esmalte ou que penetraram apenas até ao primeiro terço da dentina, sobretudo nos espaços entre os dentes. Começa-se por isolar o dente com uma espécie de borracha e aplicam-se substâncias que permitem remover a cárie do local afectado. Depois, coloca-se uma película de resina que preenche a cavidade e endurece rapidamente. Apesar de inovador, este novo método de tratamento não é recomendado para o tratamento de situações de cárie mais antigas.

 

Temas relacionados:

Flúor industrial: Prejudicial para a saúde (Vídeos)

O que é o adoçante Xilitol e qual o seu efeito nas cáries?

Vários benefícios do arando/oxicoco (cranberry)

 

 

Fonte:

Ciberrede

Folha de Londrina

Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates - Pai da Medicina

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alimentos biológicos e com vitalidade = saúde !




A farmácia é a natureza !


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sabedoria

"Aqueles que pensam que não têm tempo para cuidar de si e da sua alimentação, mais cedo ou mais tarde terão de encontrar tempo para a doença."

Publicidade: Desintoxicar


Mais sobre mim

foto do autor




Mensagens






Sabedoria ancestral

Paracelsus: "O que cura é o amor."


Atenção: Este blogue, não visa substituir o seu técnico de saúde de sua confiança!

As informações contidas neste blogue não substitui de forma alguma a consulta de um profissional de saúde de sua confiança. Consulte sempre o seu profissional de saúde sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e bem-estar, bem como os seus tratamentos e outros. Embora sejam tomados cuidados para as informações contidas neste blogue estejam correctas, algumas informações nos artigos deste blogue podem conter erros dos mais variados aspectos, pelo qual este blogue não se responsabiliza de nenhuma forma. Somente uma visita física ao seu técnico de saúde lhe pode fornecer as informações e cuidados que melhor se adequam a si/vc. As informações contidas neste blogue não se destinam a serem usadas como um substituto ou aconselhamento profissional. Quaisquer dúvidas ou preocupações que você tenha sobre sua saúde devem ser discutidas com seu técnico de saúde. Por favor, note que a informação sobre a saúde está a mudar constantemente. Portanto, algumas informações podem estar desactualizadas. Os comentários publicados são da responsabilidade dos seus autores e dos leitores que dele fizerem uso. Os comentários não reflectem a opinião do blogue. Ao visitar este blogue você concorda com estes termos.

BPT


Partida de uma anjinha

Com saudade lembrando que ela fazia parte de EQUIPA. Paz a sua alma e espirito.