BIO!

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Pequim deu luz verde à plantação de cânhamo/canábis em 2 províncias e está a investir fortemente no desenvolvimento de novas espécies. Incursão no mercado fitoterápico ocidental pode revolucionar a indústria!

Foto: 21china

 

 Muitos turistas ocidentais quando estão em cidades históricas como Lijiang ou Dali, ficam muito admirados quando simpáticas velhotas lhes oferecemcanábis para comprar. Ali se vende nas ruas e à luz do dia. São as  chamadas cidades paraíso da canábis/cânhamo na China mas existem mais cidades chinesas.

Há quem lhe chame o “ouro verde” e, já faltou menos para que conste na prateleira de uma loja perto de si. O cânhamo, uma variedade da planta cannabis sativa - cuja espécie mais afamada do grande público é o cânhamo, - cada vez mais atractiva no mega negócio, e que tem na China um actual super-produtor e um potencial super-vendedor. Resultado dessas mesmas potencialidades são as mais de 300 patentes relacionadas com a canábis - num universo de cerca de 600, segundo a Organização Mundial da Propriedade Intelectual - que têm o selo da investigação chinesa.

A canábis está a começar finalmente a ser aceite na medicina ocidental e a supremacia das patentes chinesas sugere que a ciência fitoterápica está a evoluir rapidamente na China e a ultrapassar as capacidades do Ocidente. A medicina tradicional chinesa está pronta para tirar proveito dessa tendência em crescimento.

O caminho que levará a China também ao estatuto de super-potência no campo da comercialização do cânhamo para o sector fitoterápico ainda não será de um dia para o outro. Actualmente, a maior parte do cânhamo que é produzido em território chinês vai directamente para a indústria têxtil e alimentar.

Foto: 21china

 

1 país, 2 sistemas

Como se explica então que num país que não permite a plantação de cannabis sativa, um agricultor chinês consiga cobrar 10 mil yuan, quase 1.300 euros, pela colheita de 1 ha da referida planta e ainda assim não ir para a cadeia? Ter à disposição mais de 9,5 milhões de metros quadrados de território ajuda bastante. Consciente do potencial do produto e instruída pela doutrina “1 país, 2 sistemas”, concebida nos anos 80 por Deng Xiaoping, a actual liderança chinesa acedeu a regular e legalizar a produção e comercialização do “ouro verde”por enquanto  em apenas 2 províncias do país, onde há mais de 3000 anos se cultiva o produto proibido..

Hailongjiang, a nordeste, e Iun´Nan, a sudoeste, são hoje em dia armazéns gigantescos a céu aberto e, juntos, cultivam metade do total de cânhamo legalmente comercializado a nível mundial, de acordo com o Gabinete Nacional de Estatísticas da República Popular da China. As suas condições climatéricas extremas - particularmente em Hailongjiang, um território gelado que faz fronteira com a Rússia - ajudaram as 2 províncias a tornarem-se verdadeiros laboratórios e ofereceram a cientistas e investigadores, financiados pelo Estado, a oportunidade de desenvolverem novas espécies de canábis e de testarem o seu impacto na elaboração de novas soluções fitoterápicos.

Com escritórios na Europa, Canadá, Japão, Eua ou Israel, o Grupo de Investimento em cânhamo, (em português), com sede em Pequim, é uma das empresas chinesas que olha com especial interesse para a cada vez maior abertura dos mercados nacionais e regionais à comercialização da canábis/cânhamo para fins medicinais. O seu presidente, Tang Xin, não tem dúvidas de que esse passo abrirá a torneira do lado chinês e arrisca mesmo numa previsão ambiciosa. “Acreditamos que em 5 anos o sector vai tornar-se numa indústria de 100 mil milhões de iuans , aprox. 1,3 mil milhões de euros, na China”, disse ao “South China Morning Post”.

Aos investimentos já conhecidos no domínio comercial, militar, científico, espacial e diplomático, a China acrescenta agora nova entrada a pés juntos na indústria fitoterápicos, com os olhos postos nas potencialidades da canábis. 

 

Temas relacionados:

Brasil: Governo aprova o óleo de canábis (Canabidiol CBD) para tratamento do cancro

Pão húngaro de cânhamo

Canábis/cânhamo para fins medicinais

10 superalimentos

Valor nutricional do cânhamo

Medicamentos falharam, o óleo de cânhamo ajudou

Cânhamo acelera a regeneração óssea

Médicos chilenos abrem consultório de canábis

Tem dores?

Tribunal decide a favor do doente!

Chile, o primeiro país a utilizar cânhamo para fins medicinais!

Cânhamo, um superalimento

Tribunal: O doente deve ter acesso à canábis

China: A terra da longevidade

 

Fontes:

Xinhua

21China

 

Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates - Pai da Medicina

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alimentos biológicos e com vitalidade = saúde !




A farmácia é a natureza !


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sabedoria

"Aqueles que pensam que não têm tempo para cuidar de si e da sua alimentação, mais cedo ou mais tarde terão de encontrar tempo para a doença."

Publicidade: Desintoxicar


Mais sobre mim

foto do autor




Mensagens




Sondagem

Confia na ciência-médica?
 
pollcode.com free polls


Sabedoria ancestral

Paracelsus: "O que cura é o amor."


Atenção: Este blogue, não visa substituir o seu técnico de saúde de sua confiança!

As informações contidas neste blogue não substitui de forma alguma a consulta de um profissional de saúde de sua confiança. Consulte sempre o seu profissional de saúde sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e bem-estar, bem como os seus tratamentos e outros. Embora sejam tomados cuidados para as informações contidas neste blogue estejam correctas, algumas informações nos artigos deste blogue podem conter erros dos mais variados aspectos, pelo qual este blogue não se responsabiliza de nenhuma forma. Somente uma visita física ao seu técnico de saúde lhe pode fornecer as informações e cuidados que melhor se adequam a si/vc. As informações contidas neste blogue não se destinam a serem usadas como um substituto ou aconselhamento profissional. Quaisquer dúvidas ou preocupações que você tenha sobre sua saúde devem ser discutidas com seu técnico de saúde. Por favor, note que a informação sobre a saúde está a mudar constantemente. Portanto, algumas informações podem estar desactualizadas. Os comentários publicados são da responsabilidade dos seus autores e dos leitores que dele fizerem uso. Os comentários não reflectem a opinião do blogue. Ao visitar este blogue você concorda com estes termos.

BPT