BIO!

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Existem mais de 115 componentes orgânicos presentes no gengibre!

Imagem:queroviverbem.

 

Nome científico: Zingiber officinale

 

Família: Zingiberiaceae. 

 

Sinônimos botânicos: 

Amomum zingiber L., Curcuma longifolia Wall, Zingiber aromaticum Noronha, Zingiber majus Ramphius, Zingiber missionis Wall, Zingiber sichuanense Z.Y. Zhu et al., Zingiber zingiber H. Karst. 

 

Outros nomes populares: 

gengivre, gingibre, magaratáia, mangaratá, mangarataia, mangaratiá, Jengibre (espanhol), gingembre (francês).

 

Constituintes químicos: 

ácido ascórbico; ácido aspártico; ácido glutâmico; ácido piperólico; amido 40-60%; arginina; asparagina; carboidratos; óleo volátil (1 a 3%) (1,8-cineol, acetado de geranila, acetados de zingiberol, b-bisaboleno, beta-felandreno, borneol, canfeno, caprilatos de zingiberol, chugaóis, citral, d-canfeno, falandreno, farsenol; fenilalanina; geraniol, glicina; gingediol; gingeróis, gingerona, linalol, sulforafane, zingerona, zingiberol, zingibereno); proteínas 10%; gorduras 10%; princípios amargos; sais minerais; resinas, saponinas. 

 

Propriedades medicinais: 

afrodisíaca, antiálgica, antiasmática, anticancerígena, antibiótica, antinevrálgica, antidepressiva, antidiarréica, antiemética, antigripal, anti-hemorrágica, antiinflamatória, antimicrobiana, antioxidante, anti-reumática (externa), anti-séptica, antitrombótica, antiulcerogênica, aperiente, aromática, béquica, carminativa, colagoga, conservante, desinfetante, digestiva; estimulante geral, gastrintestinal, cerebral, da circulação periférica); estomáquica, eupéptica, excitante, expectorante, hepatoprotetora, hipocolesterologênica, lipolítica, odontálgica, revulsiva, sialogoga, tônica, vitaminizante. 

 

Indicações: 

aerofagia, amigdalite, anorexia, asma brônquica, beribéri, broncorréia pulmonar, catarros crônicos, ciática, colesterol, cólicas do estômago e intestino, cólera morbus, dispepsia atônita, dores musculares, edemas artríticos e reumáticos, enjôo, estômago, feridas, fígado, flatulência, halitose, higienização da boca, impotência sexual, impurezas na pele, inflamação da garganta, má digestão, menorragia, meteorismo, náusea e enjôo comuns, de gravidez, de movimento (marítimo e aéreo), paralisia, reumatismo, resfriados, rouquidão, tosse, traumatismo, triglicerídeos, úlceras. 

 

Parte utilizada: óleo essencial, rizoma. 

Contra-indicações/cuidados: contra-indicado para portadores de cálculos biliares. 
Pode provocar queimaduras com o uso externo quando o gengibre está demasiado quente, principalmente o gengibre em pó.. 

 

Modo de usar: 
- diarréia; 3 a 9g/dia; 
- decocção de 50 g de rizoma em 1 litro de água ou 1 colher das de chá em 1 xícara das de chá de água. Tomar 1 xícara 3 vezes ao dia, adoçada com mel (tosse, asma, bronquite e cólicas); 
- cataplasma do rizoma moído ou ralado em um pedaço. Aplicar sobre o local afetado (reumatismo e traumatismos na coluna vertebral e articulações; nevralgias e hemorróidas). 
- pó: para vômitos. 
- rizoma fresco: mascar um pedaço (rouquidão, náuseas, dores estomacais e ânsia de vômito). 
- tintura de 100 g do rizoma moído em 0,5 litro de álcool. Fazer fricções tópicas (reumatismo). 
- xarope do rizoma ralado misturado com mel; 
- suco de um rizoma moído. Coar a aplicar topicamente em ferimentos e cortes; 
- geléias, pudins, doces, aromatização de bebidas, cocada nordestina, pé-de-moleque e com canela, para preparar o quentão. 

 

Não seria exagero pensar que Hipócrates estava se referindo ao gengibre (Zingiber officinale) em sua famosa citação sobre deixar o alimento ser o seu remédio e o seu remédio o seu alimento: ele é um tempero que é muito usado em todo o mundo, tanto como condimento dietético como como planta medicinal. É um membro da família Zingiberaceae, na qual pertencem o açafrão-da-índia/terra (Curcuma longa) e o cardamomo. A maioria das pessoas conhece o gengibre por seu sabor apimentado e levemente adocicado (bem como pelo seu aroma nitidamente forte e picante); no entanto, apenas algumas pessoas sabem como tirar o máximo proveito desse superalimento.

 

Muitos dos super-alimentos que conhecemos contêm componentes químicos que foram identificados com um benefício de saúde específico. O gengibre tem isso, e muito mais – para salientar, os cientistas identificaram pelo menos 115 constituintes de vários tipos de gengibre frescos e secos, cada um com uma variedade de componentes analíticos. O gingerol, em particular, forma os componentes mais abundantes do gengibre fresco, junto com outros compostos, como paradol, zingerone e shogaol. Além do mais, estes componentes se transformam em outros compostos bio-activos, uma vez que estes são cozidos ou secos, que também têm potentes propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e anti-câncer/cancro.

Em um estudo publicado na Obstetrics & Gynecology, os pesquisadores sugeriram que de 250 mg a 4,8 g – aproximadamente pouco menos de duas colheres de sopa – de gengibre fresco ou seco por dia é o ideal. A dosagem pode variar, é claro, dependendo de como é consumida, assim como seu uso pretendido.

 

Os benefícios do gengibre

Encontrar um sistema médico tradicional que não faça uso do tempero é difícil. Na Aiurveda, o gengibre é historicamente conhecido como o grande remédio (maha oushadha), uma afirmação de como é eficaz como agente terapêutico. As pessoas na Índia antiga usaram-na para tratar condições que variam de febre a distúrbios digestivos. Em particular, o gengibre fresco é usado para aliviar os sintomas de náuseas e vômitos, que os cientistas atribuem à presença de shogaol, enquanto o gengibre seco é conhecido por melhorar as condições respiratórias severas. O gingerol, o composto que dá o cheiro distinto de gengibre, é usado para estimular a digestão e tratar condições gastrointestinais.

 

Da mesma forma, os chineses também usaram o gengibre na medicina tradicional talvez por mais de 5000 anos. a raiz de gengibre fresco, conhecida como sheng jiang, é usada para dispersar a frieza dentro do estômago, devido às suas propriedades quentes e pungentes, enquanto o gengibre seco, chamado gan jiang, é usado para tratar a frieza no baço e aliviar a diarreia e falta de apetite já que tem maior calor e pungência. Quando o gengibre é frito rapidamente, ele se torna pao jiang e é usado para tratar dismenorreia e condições semelhantes. Curiosamente, a maioria dos pratos na Ásia que têm gengibre são elogiados por seus benefícios para a saúde.

A ciência moderna também descobriu ainda mais benefícios do gengibre para a saúde. Pelo menos três estudos clínicos observaram que o gengibre é capaz de aliviar náuseas e vómitos causados ​​por condições como gravidez, quimioterapia e até mesmo cesarianas. Em um estudo separado, os autores descobriram que o gengibre era um tratamento melhor para a dismenorreia do que os exercícios musculares.

 

Os pesquisadores também observaram que os ingredientes bio-activos do gengibre tinham propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e anti-carcinogênicas que inibiam as vias responsáveis ​​pelo desenvolvimento do câncer/cancro colorretal. Em particular, foi provado que o [6]-gingerol, um composto encontrado no gengibre, desencadeou efectivamente a morte celular programada, de acordo com um estudo na revista científica Molecular Carcinogenesis. Além disso, vários estudos observaram que o gengibre é capaz de melhorar os sintomas de dores musculares e lombares, enxaqueca, síndrome do desconforto respiratório e até mesmo diabetes tipo 2.

 

Crie o hábito usar gengibre

Uma das melhores maneiras de aproveitar ao máximo o gengibre é fazer chá de gengibre. Aqui está uma receita simples:

 

Chá de gengibre

1 colher de chá de gengibre ralado ou picadinho 1 xícara/chávena de água fervente, se quiser adoçar com mel (biológico)

 

Como fazer:

Coloque a raiz de gengibre em um infusor de chá e coloque-o directamente em uma caneca. Adicione água fervente. Deixe a raiz ficar em infusão por cinco a dez minutos. Remova o infusor. Adicione o mel, se necessário.

 

Temas relacionados:

Estudo: Gengibre natural é 10.000 vezes mais eficaz no combate ao cancro que a quimioterapia

Açafrão, bom para tratar glaucoma e para diagnóstico neurológico

Doença de Alzheimer: Nova esperança com açafrão/cúrcuma

Os melhores alimentos para aumentar a inteligência

Depressão: Limonada de açafrão, efeito melhor do que os antidepressivos

Benefícios do Açafrão da Índia/Cúrcuma

Leite dourado: O leite saboroso e saudável

Jaborandi

Saúde e prevenção: Chá bem quente diminui risco de glaucoma

Canábis/cânhamo para fins medicinais

A Centella asiática

Já conhece os benefícios da planta borututu?

Já conhece os benefícios da planta borututu?

Penicilina-vegetal, Terramicina, Doril. Já conhece?

A sálvia, benefícios e propriedades medicinais

Alimentos e chás que facilitam a digestão

 

Fontes:

Naturopatia

Notícias Naturais

Plantamed

Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates - Pai da Medicina

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alimentos biológicos e com vitalidade = saúde !





A farmácia é a natureza !


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sabedoria

"Aqueles que pensam que não têm tempo para cuidar de si e da sua alimentação, mais cedo ou mais tarde terão de encontrar tempo para a doença."

Publicidade: Desintoxicar


Mais sobre mim

foto do autor




Mensagens




Sondagem

Confia na ciência-médica?
 
pollcode.com free polls


Sabedoria ancestral

Paracelsus: "O que cura é o amor."


Atenção: Este blogue, não visa substituir o seu técnico de saúde de sua confiança!

As informações contidas neste blogue não substitui de forma alguma a consulta de um profissional de saúde de sua confiança. Consulte sempre o seu profissional de saúde sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e bem-estar, bem como os seus tratamentos e outros. Embora sejam tomados cuidados para as informações contidas neste blogue estejam correctas, algumas informações nos artigos deste blogue podem conter erros dos mais variados aspectos, pelo qual este blogue não se responsabiliza de nenhuma forma. Somente uma visita física ao seu técnico de saúde lhe pode fornecer as informações e cuidados que melhor se adequam a si/vc. As informações contidas neste blogue não se destinam a serem usadas como um substituto ou aconselhamento profissional. Quaisquer dúvidas ou preocupações que você tenha sobre sua saúde devem ser discutidas com seu técnico de saúde. Por favor, note que a informação sobre a saúde está a mudar constantemente. Portanto, algumas informações podem estar desactualizadas. Os comentários publicados são da responsabilidade dos seus autores e dos leitores que dele fizerem uso. Os comentários não reflectem a opinião do blogue. Ao visitar este blogue você concorda com estes termos.

BPT