BIO!

Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Uma série de reportagens e livros publicados ao longo de 25 anos pelo jornalista Robert Whitaker, especialista em questões de ciência e medicina convencional, abriu uma crise na prática médica da psiquiatria e na solução mágica de curar os transtornos mentais com drogas farmacêuticas.

Foto:saudecuf

 

O jornalista, do The Boston Globe, o mesmo jornal das série de reportagens que gerou o filme Spotlight, levantou dados alarmantes sobre a indústria farmacêutica dasdoenças mentais e sua incapacidade de curar. “Em 1955, havia 355.000 pessoas em hospitais com um diagnóstico psiquiátrico no EEUU-EUA; em 1987, 1,25 milhão de pessoas no país recebia aposentadoria por invalidez por causa de alguma doença mental; em 2007, eram 4 milhões. No ano passado, 5 milhões”.

Para ele, associações médicas e a indústria estão criando pacientes e mercado para suas drogas.

“Se olharmos do ponto de vista comercial, o êxito desse sector é extraordinário. Temos pílulas para a felicidade, para a ansiedade, para que seu filho vá melhor na escola. O transtorno por déficit de atenção e hiperatividade é uma fantasia. É algo que não existia antes dos anos 90”, diz.

 
Mas essa não é uma crítica simplificada ou econômica, mas bem mais fundamentada durante mais de 2 décadas.

“O que estamos fazendo de errado?”, questionam os estudos de Whitaker que também levantou informações de que pacientes de esquizofrenia evoluem melhor em países em que são menos drogados.

Outro dado importante foi o estudo da Escola de Medicina de Harvard, que em 1994, mostrou que a evolução de pacientes com esquizofrenia, que foram drogados, pioraram em relação aos anos 70, quando a medicação não era dominante.

 

A batalha de Whitaker contra os comprimidos como solução tem ganhado apoio. Importantes escolas de medicina convencional o convidam a explicar seus trabalhos e o debate está aberto no EEUU-EUA.

“A psiquiatria está entrando em um novo período de crise no país, porque a história que nos contaram desde os anos 80 caiu por terra. A história falsa no EEUU e em parte do mundo desenvolvido é que a causa da esquizofrenia e da depressão seria biológica. Foi dito que esses distúrbios se deviam a desequilíbrios químicos no cérebro: na esquizofrenia, por excesso de dopamina; na depressão, por falta de serotonina. E nos disseram que havia drogas farmacêuticas que resolviam o problema, assim como a insulina faz pelos diabéticos”, afirmou em entrevista ao jornal El Pais.

 

Para ele, os psiquiatras sempre tiveram um complexo de inferioridade.

“O restante dos médicos costumava enxergá-los como se não fossem médicos autênticos. Nos anos 70, quando faziam seus diagnósticos baseando-se em ideias freudianas, eram muito criticados. E como poderiam reconstruir sua imagem diante do público? Vestiram suas roupas brancas, o que lhes dava autoridade. E começaram a se chamar a si mesmos de psico-farmacólogos quando passaram a prescrever drogas. A imagem deles melhorou. O poder deles aumentou. Nos anos 80, começaram a fazer propaganda desse modelo, e nos noventa, a profissão já não prestava atenção a seus próprios estudos científicos. Eles acreditavam em sua própria propaganda”, relata.


Para Whitaker, houve uma união do útil ao agradável. Uma história que melhorou a imagem pública da psiquiatria e ajudou a vender medicamentos. No final dos anos oitenta, o comércio desses fármacos movimentava 600 milhões de euros por ano. 20 anos mais tarde, já eram mais de 30 bilhões/milhares de milhões de euros.

“Se estudarmos a literatura científica, observamos que já estamos utilizando essas drogas há 50 anos. Em geral, o que eles fazem é aumentar a cronicidade desses transtornos”, afirma de forma categórica.


Essa mensagem, segundo o próprio Whitaker, pode ser perigosa, mas ele não traz conselhos médicos nos estudos (Anatomy of an Epidemic), não é para casos individuais.

“Bom, se a droga farmacêutica "funciona", fantástico. Há pessoas para quem isso funciona. Além disso, o cérebro se adapta aos comprimidos, o que significa que retirá-los pode ter efeitos graves. O que falamos no livro é sobre o resultado de maneira geral. É para que a sociedade se pergunte: nós organizamos o atendimento psiquiátrico em torno de uma história cientificamente correta ou não?”, diz.


Whitaker foi muito criticado injustamente, apesar de seu livro contar com muitas evidências e ter recebido prêmios. Mas a obra desafiou os critérios da Associação Norte-Americana de Psiquiatria (APA) e os interesses da indústria farmacêutica. Mas desde 2010 novos estudos confirmaram suas pesquisas. Entre eles, os trabalhos dos psiquiatras Martin Harrow e Lex Wunderink e o fato de a prestigiada revista científica British Journal of Psychiatry já assumir que é preciso repensar o uso de medicamentos.

“Os comprimidos podem servir para esconder o mal-estar, para esconder a angústia. Mas não são curativos, não produzem um estado de felicidade”, diz.

 

O défice de vitaminas
Com a comida cada vez mais industrializada, repleta de agro-tóxicos, como insecticidas, fungicidas e herbicidas, mais os OGM e transgénicos, trazem um empobrecimento dos solos e por consequência dos alimentos. A comida processada e aquecida em micro-ondas só piora ainda mais o quadro cinzento.

A doença, esquizofrenia, é um exemplo de défice de vitaminas no cérebro, sobretudo B3, B6, B9 e B12. A vitamina C e E também costumam estar em falta. Também a omega-3 o até mesmo a omega-6 são deficitárias em pacientes esquizofrénicos.

 

Tomas:

+ B9, 5 a 15 mg por dia, começando com 5 mg. Se ao fim de 2 meses não houver melhoras, aumentar para 10 mg e assim sucessivamente.

+ B12, 1000 a 5000 µg por dia. Tomar 2 x por dia de cada vez a metade, i.e. de 1000 µg, tomar 2x 500 µg por dia.

+ B3, pelo menos 1 g por dia, tomar 500 mg 2x ao dia. Há casos que poderá ir além dos 3 g por dia.

 

Verificar:

- A KPU (Criptopirroluria):

Muitos pacientes ignoram padecem desta doença e que pode trazer outras doenças.

 

- Possíveis alergias:

P.ex. Trigo e intolerância ou alergia ao glúten, assim como a intolerância ao leite que intensificam os efeitos psicológicos.

 

- Controlar os níveis histamínicos:

Tanto os níveis alto como baixo podem influenciar a psique.

 

- Cotrolar o nível de vitamina D:

Esta vitamina influencia o bem estar do ser humano. A falta dela contribui para várias doenças tanto físicas como psíquicas.

 

 

As drogas farmacêuticas não curam, provocam suicídio e homicídio:

 

 O suicidio e a violência causados por antidepressivos:

 

 

Nota bene:

A acupunctura pode ajudar muito em doenças mentais.

 

Temas relacionados:

Farmacêuticas não visam a cura, mas a dependência, diz Nobel da Medicina

Sabe como funciona a indústria da doença?

Fármacos! O Marketing da Loucura: A verdade sobre drogas psicotrópicas (vídeo)

As doenças inventadas (pelas farmacêuticas)

Atenção! Estudo confirma tomar anti-depressivos induz ao suicídio

Antidepressivo aumenta o risco de suicídio em 800% ! 

Antibióticos danificam o cérebro

Ingredientes que intoxicam o seu cérebro

Indústria farmacêutica: A grande aposta na doença dos doentes

Alzheimer: A causa é uma infecção por um fungo?

Médico desabafa: As drogas farmacêuticas não aumentam a saúde

Tomar fármacos para dormir duplica risco de Alzheimer

Anti-depressivos, risco de saúde pública: Crianças e jovens portugueses cada vez mais drogados

A alimentação mediterrânica trava a degeneração cerebral ?

Alzheimer: A grande mentira

Noruega: 1º Hospital Psiquiátrico do ocidente sem utilizar drogas

A sua memória está pior?

Perigo: A anestesia diminui a cognição em adultos

Os 9 fármacos mais perigosos do planeta

Depressão: 10 alternativas que comprovadamente funcionam

Alzheimer: A grande mentira

Dr. Leonard Coldwell: Não confie num médico (Vídeos)

Como impedir o seu médico de o matar

Médica escreveu livro: A máfia médica (Vídeos)

Confia no seu médico convencional?

A depressão é alimentada por maus hábitos alimentares

Psiquiatra afirma que antidepressivos não são tão eficazes

Erva de S. João/Hipericão/Hypericum perforatum, esta planta incomoda também as farmacêuticas

Depressão: Fármacos devoram a alma

Estudo sueco: antidepressivos causam agressividade

Toma antidepressivos? Então saiba que...

Indústria farmacêutica: A grande aposta na doença dos doentes

Dependência: Os anti-depressivos "agarram"

Melhorar a memória: Canela, mel e óleo de coco

Oligoelemento selénio: Protege os neurónios cerebrais da depressão e morte cerebral

Chá verde: Reduz problemas cognitivos e físicos

Jejum renova as células, diz Nóbel de medicina

A capacidade de exercitar o cérebro e melhorar o desempenho cognitivo

O cérebro e as 12 medidas anti-envelhecimento

Como equilibrar as flutuações hormonais e alterações de humor

Doença e saúde - Mestre Beinsa Douno

Sabia que o exercício físico chega a ser mais eficaz que os fármacos?

Estar no meio da natureza cura-nos

Qual adoece primeiro: o corpo ou a alma?

Depressão: Limonada de açafrão, efeito melhor do que os antidepressivos

Caminhada e Tai Chi

Manter a saúde emocional e mental 

Acupunctura tradicional melhora tratamento convencional contra dor e depressão 

 

Fontes:

Carta Campinas

El Pais

fãs da psicanálise

O ARTIGO
Psicologias do Brasil

Zentrum der Gesundheit

Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates - Pai da Medicina

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alimentos biológicos e com vitalidade = saúde !




1 comentário

De Anónimo a 16.08.2018 às 07:45

Na verdade nenhuma droga farmacêutica cura.
Muito cuidado com a droga farmacêutica VOLTAREN, ela mata ao induzir o doente a ter alucinações e por isso o doente ou comete homicídio ou se suicida.

Sou Farmacêutica.

Comentar post



A farmácia é a natureza !


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sabedoria

"Aqueles que pensam que não têm tempo para cuidar de si e da sua alimentação, mais cedo ou mais tarde terão de encontrar tempo para a doença."

Publicidade: Desintoxicar


Mais sobre mim

foto do autor




Mensagens




Sondagem

Confia na ciência-médica?
 
pollcode.com free polls


Sabedoria ancestral

Paracelsus: "O que cura é o amor."


Atenção: Este blogue, não visa substituir o seu técnico de saúde de sua confiança!

As informações contidas neste blogue não substitui de forma alguma a consulta de um profissional de saúde de sua confiança. Consulte sempre o seu profissional de saúde sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e bem-estar, bem como os seus tratamentos e outros. Embora sejam tomados cuidados para as informações contidas neste blogue estejam correctas, algumas informações nos artigos deste blogue podem conter erros dos mais variados aspectos, pelo qual este blogue não se responsabiliza de nenhuma forma. Somente uma visita física ao seu técnico de saúde lhe pode fornecer as informações e cuidados que melhor se adequam a si/vc. As informações contidas neste blogue não se destinam a serem usadas como um substituto ou aconselhamento profissional. Quaisquer dúvidas ou preocupações que você tenha sobre sua saúde devem ser discutidas com seu técnico de saúde. Por favor, note que a informação sobre a saúde está a mudar constantemente. Portanto, algumas informações podem estar desactualizadas. Os comentários publicados são da responsabilidade dos seus autores e dos leitores que dele fizerem uso. Os comentários não reflectem a opinião do blogue. Ao visitar este blogue você concorda com estes termos.

BPT