Publicidade: Conhece o LIV 52 para o figado?

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Síndrome do edifício doente: quando o prédio em que você mora ou trabalha prejudica a saúde!

Embora provavelmente você não saiba, desde 1982 – há mais de 30 anos – a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconheceu a existência da Síndrome do Edifício Doente. A doença só foi acreditada depois da morte de 182 pessoas que se hospedaram em um hotel na Filadélfia. O edifício estava com o ar contaminado por uma bactéria – Legionella pneumophila – e, durante um bom período, pessoas que se hospedaram lá, adoeceram e morreram contaminados pela mesma bactéria.

Imagem:ecycle

 

Aliás, você reparou que, em alguns edifícios o ar parece estranho? Já entrou em algum lugar que rapidamente seu corpo reagiu com irritação nos olhos e nariz, depois dor de cabeça e cansaço? Então, esses, são alguns dos primeiros sintomas da atmosfera de um “edifício doente”.

 

O que é um Edifício Doente?
Na verdade, par ser considerado um edifício doente, não necessariamente a bactéria citada acima precisa estar presente. Um prédio ou casa doente, é aquela em que pelo menos 20% dos habitantes apresentem sintomas associados à permanência em seu interior. Por outro lado, o fato de se afastar por um tempo – horas, dias, ou semanas – do local resulta em uma melhora.

As causas podem ser inúmeras. Desta forma, considera-se que fontes poluentes de origem física, química ou biológica podem adoecer um edifício. Um edifício pode estar contaminado com uma série de micro-organismos que pioram sintomas de doenças como rinite e asma. É muito comum que uma pessoa com rinite entre em um local e já comece a tossir, lacrimejar e espirrar. Aliás é muito comum também a pessoa estar bem em casa e, ao chegar do trabalho já exibir sintomas.

 

Construções novas e antigas
Os edifícios doentes não se limitam a construções antigas, como muitos pensam. Edifícios novos, projectados sem a utilização de materiais seguros, possuem altas concentrações de compostos voláteis e material particulado, provenientes dos materiais de construção e do mobiliário.

Contudo, edifícios antigos, com o envelhecimento dos equipamentos, acúmulo de poeira, bolor, (h)umidade nas paredes, contaminantes químicos e biológicos nos sistemas de refrigeração também podem oferecer ambientes com risco à saúde. Aliás, em muitos casos, a falta de manutenção é a culpada por adoecer um edifício.

 

Causas da Síndrome do Edifício Doente
Contaminação química: Os produtos químicos presentes materiais usados na construção como pedras, tijolos e concreto/betão. Ao mesmo tempo, os materiais sintéticos de revestimento, aglomerados de madeira, espumas de isolamento, solventes, tintas, vernizes. Da mesma forma, os produtos de limpeza são potenciais fontes de contaminação.

 

Contaminação biológica: Factores biológicos também podem ser perigosos para a saúde dos ocupantes. São velhos conhecidos nossos: bactérias, fungos, protozoários, artrópodes, vírus e excrementos de animais em geral, adoecem muito edifícios com higiene precária. Por fim, causam doenças respiratórias, principalmente.

 

Contaminação física: Os factores físicos podem adoecer um prédio. Iluminação exagerada ou fraca demais, muito barulho, temperatura alta ou baixa demais, (h)umidade acima do permitido, podem, de fato, adoecer os ocupantes definitivamente.

 

É de sabedoria popular que devemos deixar o ambiente ventilar para que o ar se renove, mas os edifícios modernos, principalmente comerciais, têm um sistema de ventilação integrado, que nem sempre recebe manutenção adequada. Entre outros motivos, ele pode estar contaminado com bactérias e vírus, e acabar desencadeando diversas condições indesejadas. Isso sem falar dos contaminantes químicos.

 

Arquitectura moderna e a saúde

Nos anos 70 houve uma mudança nos projetos de arquitetura para prédios comerciais em decorrência da crise energética mundial. A tendência foi a criação de ambientes cada vez mais fechados. Eles apresentam mínimas aberturas para ventilação e pouca troca de ar com o ambiente externo, para, assim, reduzir o gasto de energia na manutenção da circulação e refrigeração do ar. Edifícios “hermeticamente” fechados auxiliaram na redução do consumo de energia, contudo, a redução radical da captação do ar externo significou em uma taxa insuficiente de renovação do ar. Com isso, houve a queda na qualidade do ar e o aumento da concentração de poluentes químicos e biológicos, que ameaçam a saúde dos ocupantes.

As enormes fachadas de vidro (ou espelhadas) substituíram janelas. Aparelhos de ar condicionado independentes deram lugar a ambientes fechados, com dutos de ar resfriados ou aquecidos por uma central. A automatização dos sistemas de ar condicionado, inicialmente, prezava apenas pelo controle das variáveis temperaturas e (h)umidade relativa do ar interno, e ignorava parâmetros de qualidade do ar. Por esse motivo, a síndrome do edifício doente, muitas vezes, é chamada de síndrome do edifício espelhado.

Os avanços na química, e a utilização crescente do petróleo, tornaram possível a utilização de novos materiais, em busca de uma melhor qualidade estética e funcional. Cada vez mais compensados, vernizes, adesivos, papéis de parede, tapetes, removedores, entre outros materiais que são fontes de poluição passaram a ser utilizados. Também cresceu o uso de resinas de formaldeído empregadas, principalmente, em móveis de madeira aglomerada, divisórias e material colante para fixar carpetes. Carpetes higienizados com xampus e outros produtos químicos de porte industrial, altamente tóxicos, diga-se de passagem. Equipamentos para dar mais agilidade aos serviços (com geração de ozônio e amoníacos) aumentaram ainda mais a contaminação do ambiente interno. Em suma, os edifícios modernos, fechados, são um nicho ecológico complexo, fonte de inúmeras doenças para o homem.

 

Em síntese, morar e trabalhar em um edifício saudável irá garantir uma qualidade de vida e saúde muito melhor. Vale a pena fazer uma pesquisa no seu prédio e constatar se os moradores podem estar ao mesmo tempo sofrendo das mesmas doenças. É indispensável buscar uma providencia.

 

Nota bene:

Nem os hospitais escapam a estes problemas. Alguns países latinos como Portugal tem dos maiores índices de contaminação, no que toca a Legionella que faz aparições em algumas unidades hospitalares e noutros edifícios com resultados fatais.

 

Temas relacionados:

Porque os teus avós não sofriam de alergias, já os netos não podem afirmar o mesmo

O micro-ondas é prejudicial para a sua saúde ?

Hospital em Portugal: Surto de sarna obriga a encerramento

Brasil: Hospitais levam à morte 3 doentes a cada 5 minutos

Sondagem: Confia nos hospitais?

 

Fonte:

ecycle

Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates - Pai da Medicina

Autoria e outros dados (tags, etc)





A farmácia é a natureza !


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sabedoria

"Aqueles que pensam que não têm tempo para cuidar de si e da sua alimentação, mais cedo ou mais tarde terão de encontrar tempo para a doença."

Publicidade: Desintoxicar


Mensagens


Mais sobre mim

foto do autor








Sabedoria ancestral

Paracelsus: "O que cura é o amor."

Atenção: Este blogue, não visa substituir o seu técnico de saúde de sua confiança!

As informações contidas neste blogue não substitui de forma alguma a consulta de um profissional de saúde de sua confiança. Consulte sempre o seu profissional de saúde sobre qualquer assunto relativo à sua saúde e bem-estar, bem como os seus tratamentos e outros. Embora sejam tomados cuidados para as informações contidas neste blogue estejam correctas, algumas informações nos artigos deste blogue podem conter erros dos mais variados aspectos, pelo qual este blogue não se responsabiliza de nenhuma forma. Somente uma visita física ao seu técnico de saúde lhe pode fornecer as informações e cuidados que melhor se adequam a si/vc. As informações contidas neste blogue não se destinam a serem usadas como um substituto ou aconselhamento profissional. Quaisquer dúvidas ou preocupações que você tenha sobre sua saúde devem ser discutidas com seu técnico de saúde. Por favor, note que a informação sobre a saúde está a mudar constantemente. Portanto, algumas informações podem estar desactualizadas. Os comentários publicados são da responsabilidade dos seus autores e dos leitores que dele fizerem uso. Os comentários não reflectem a opinião do blogue. Ao visitar este blogue você concorda com estes termos.


BPT