Publicidade: Quase toda a mulher sofre de anemia! Se sente cansada, tome Floradix com ferro

Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O refluxo ácido é um sintoma incómodo que se apresenta por um mal funcionamento do esfíncter esofágico inferior, cuja função principal é manter o bolo alimentar e suco gástrico no estômago.

 

Foto: drjulianopimentel

 

É um problema caracterizado por uma sensação de ardor/queimação na altura do esterno, quase sempre acompanhada por secura na garganta e acidez.

 
Às vezes, é tão forte que muitas pessoas confundem o problema com a dor causada por um infarto/enfarte do miocárdio, o que gera centenas consultas de urgência ao médico.

Seu aparecimento pode se dar por algum tipo de anomalia do esófago, ou por problemas digestivos que aumentam a produção de ácidos no estômago.

No entanto, a maioria dos casos tem a ver com hábitos alimentares, pois algumas refeições copiosas e apimentadas alteram o pH digestivo e aumentam a acidez.

Ainda que seja um transtorno de carácter esporádico e leve, o ideal é conhecer quais os alimentos que o provocam, para evitar que se torne recorrente.

 

Sintomas de refluxo:
Entre os principais sintomas do refluxo podemos destacar a azia, uma queimação/ardor que irradia do seu estômago até o peito e garganta.

 Determinadas atividades (ver abaixo), podem piorar os sintomas refluxo:

+ Curvar-se para frente

+ Deitar-se, especialmente de costas para baixo

+ Ingerir uma refeição pesada

+ Levantar pesos

 

Outros sintomas incluem:

+ Aperto na garganta

+ Asma

+ Halitoses/Mau hálito

+ Problemas dentários

+ Rouquidão

+ Sensação de ter comida presa na garganta

Alimentos que podem causar refluxo ácido:

1. Chocolate

Ainda que o chocolate tenha se tornado bastante popular por seu alto teor de antioxidantes, seu consumo excessivo pode desencadear o refluxo gástrico.

Isso porque possui um alto teor de gorduras e estimulantes, como a cafeína e a teobromina, todos relacionados com o aumento da acidez no sistema digestivo.

 

2. Condimentos picantes
Os condimentos picantes dão um toque muito especial aos pratos e alguns têm propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.

O problema é que podem ser agressivos para o sistema digestivo, sobretudo quando combinados a outros alimentos irritantes.

 
Entre os alimentos e condimentos que podem ser prejudiciais quando ocorrem constantes episódios de refluxo estão:

Molhos picantes
Curry
Chilli
Cominho


3. Café
Para um grande número de pessoas, o café não pode faltar em seu dia a dia. Seu poder energético, além de seus antioxidantes, o tornam uma grande opção para começar uma longa jornada de trabalho.

No entanto, por ser uma das principais fontes de cafeína, quem tende a sofrer de refluxo deve evitá-lo.

Essa substância estimulante enfraquece as válvulas que mantêm os sucos ácidos no estômago, o que facilita seu retorno para o esôfago e à boca.

 

4. Batatas fritas e afins

As batatas e outras frituras à venda no mercado são o inimigo número um dos processos digestivos e metabólicos.

Esses aperitivos contêm altos níveis de gorduras trans e conservantes químicos que, além de afetar as funções digestivas, aumentam a produção de ácidos e a presença de toxinas.

Consumi-las em grande quantidade influi nos descontroles dos processos inflamatórios do corpo e, ao mesmo tempo, aumenta a recorrência da pressão estomacal e da acidez.

 

5. Embutidos/embalados e enlatados
Tanto as carnes embutidas quando enlatados estão repletos de substâncias artificiais que, ainda que permitam conservá-los, geram um excesso de acidez no sangue e no estômago.

Esse tipo de alimento se caracteriza por seu alto teor de gordura e farinhas, que afetam a saúde estomacal e o bom funcionamento do metabolismo.

Consumi-las regularmente pode causar o aparecimento de transtornos como obesidade e altos níveis de colesterol e açúcar.

 
6. Produtos de padaria

Os produtos à venda em padarias, sobretudo os biscoitos e doces ricos em substâncias artificiais, podem gerar um ambiente ácido no estômago e esófago.

Essas substâncias, além dos açúcares e farinhas refinadas, causam irritação no revestimento do esófago e aumentam a presença de sucos ácidos.

Como consequência, o esfíncter esofágico fica debilitado e, por sua vez, aumenta a susceptibilidade de sofrer com úlceras e gastrite.

 

7. Refrigerantes
O consumo habitual de refrigerantes pode causar uma série de reacções negativas no organismo, que se vêem reflectidas em vários aspectos da saúde.

Os refrigerantes, sobretudo os de cola, contêm altos níveis de cafeína e, portanto, têm efeitos similares aos do café.

Por outro lado, os gases aumentam a pressão no estômago, o que origina uma resposta ácida em seu ambiente.

 

8. Carnes

O consumo de carnes aumenta os níveis de inflamação no corpo, já que contêm muitas purinas e substâncias ácidas que interferem na digestão.

Isso, somado a seu alto teor de gordura, explica por que é uma das responsáveis pelo aparecimento recorrente desse incómodo. 

 

9. Tomate

Tomates cozidos agem como produtores de acidez, o que pode resultar no estômago sensível em azia/queimação, especialmente quando a pessoa está deitada. Pouca gente sabe, o tomate é um dos alimentos que mais causam refluxo ácido.

Tomates ou quaisquer pratos que contenham tomates (incl. molhos de tomate e sopas de tomate) podem até perturbar o sono e gerar insónia.
Por outro lado, tomates crus, quando ingeridos à noite, são difíceis de digerir e podem, – especialmente se eles não não forem adequadamente mastigados - gerar desconforto e inclusive insónia.

 

10. Comida frita e grelhada

Os alimentos fritos é a mais reconhecida causa de refluxo. Os grelhados, principalmente os grelhados de carne, pior ainda se for no verão, pioram significativamente os sintomas.

 

 

Mais 4 factores que contribuem para o refluxo:

Além dos alimentos mencionados, tanto o álcool quanto o fumo/tabaco são muito prejudiciais para nossa saúde gástrica, portanto, deveríamos evitá-los, sobretudo se temos refluxo gástrico.

Comer apressadamente também piora os sintomas. Outro motivo é comer debaixo de estresse, assim os sintomas só podem piorar.

Imagem: hmsportugal

 

 

Como tratar o refluxo gastroesofágico de modo natural:

 

Comer devagar, mastigar bem os alimentos e num ambiente calmo sem agitação de nenhum tipo.

Isto devia ser óbvio para toda a gente, mas nem toda a gente pratica quando come.

 

Maçãs:

Assim como dizem os mais experientes (pessoas idosas), devemos comer pelo menos uma maçã por dia. Essas frutas são boas para o organismo e ajudam a acalmar a azia, além de conterem pectina, um antiácido natural.
Se não gosta de comer maçãs na forma pura, adicione-as em uma salada ou faça um batido cremoso. 

 

Gengibre

Usado desde a antiguidade, o gengibre apresenta efeito protetor gastrointestinal, promovendo neutralização de acidez  e suprimindo o H. pylori. Estudos revelam que o gengibre é superior ao protetor gástrico na prevenção de formação de úlcera, sendo cerca de oito vezes mais potente que a medicação.


Bicarbonato de sódio

O bicarbonato de sódio é muito útil em situações de emergência, cuja dor é muito intensa. Use de meia a uma colher de chá em um copo de água, promovendo um rápido alívio da queimação/ardor e neutralização da acidez estomacal.


Efectuar uma rotina de exercício

O exercício é mais uma maneira de incrementar o sistema imune do seu corpo, necessário para combater todos os tipos de infecções.

 

Eliminar o gatilho alimentar

As alergias alimentares podem ser um problema, então você deve eliminar completamente esse factor. Outros factores de risco controláveis são: tabagismo e excesso de estresse oxidativo.


Modificar a sua alimentação

Comer grandes quantidades de alimentos e açúcares processados é uma maneira certeira de exacerbar o refluxo ácido porque desequilibra as bactérias no estômago e intestinos.Prefira comer alimentos de alta qualidade e biológicos/orgânicos.

 

Aloe (Vera)

O suco/sumo do aloe ajuda a reduzir inflamação que como consequência ativa os sintomas do refluxo ácido. Consuma uma colher de sopa diluída em água pouco antes das refeições.

 

Óleo de coco:

O ácido láurico no óleo de coco é um anti-séptico natural que mata os fungos e bactérias as quais causam refluxo ácido. O óleo de coco desencadeia a produção de cloro, o que é essencial para a produção de ácido gástrico que assim contribui para a pretendida boa digestão.

 

Goma de aroeira:

Esse tipo de tratamento tem sido usado por séculos para solucionar o problema de saúde a nível gástrico.

 

Probióticos

Procure suplementar sua dieta com um probiótico de alta qualidade ou incluir alimentos fermentados. Experimente consumir alimentos tais como o kefir (leite fermentado feito com leite cru), e natto, além de vegetais fermentados como Sauerkraut/Chucrute. Isso ajudará a equilibrar a sua flora intestinal, o que pode auxiliar na eliminação do Helicobacter naturalmente. Além disso, associe um suplemento probiótico que possa reforçar mais o reequilíbrio da sua flora intestinal gerando menos inflamação na mucosa gástrica e permitindo uma melhor assimilação nutricional.


Aumentar a produção natural do ácido estomacal do seu corpo: 

O refluxo ácido não é causado por ácido em excesso no seu estômago; ao contrário, ele é geralmente um problema causado por ácido de menos. Uma das estratégias mais simples para encorajar o seu corpo a fabricar quantidades suficientes de ácido clorídrico (ácido estomacal) é consumir o suficiente da matéria-prima:


a) Um dos itens mais simples e básicos que muitas pessoas negligenciam é o sal marinho/integral de alta qualidade (sal não processado). Elimine o sal comum de mesa, e prefira um sal não processado, como o de Himalaia, considerado um dos melhores sais no planeta. Ele não só  fornecerá  a você o cloreto que o seu corpo precisa para fabricar o ácido clorídrico, como também contém mais de 84 sais minerais necessários para que o seu corpo tenha um desempenho bioquímico ideal.


b) Vinagre de maçã:

O uso de vinagre de maçã com acidez de até 4%, em quantidade de uma colher de sopa diluído em um copo de água três vezes ao dia antes das principais refeições, é efectivo no estímulo da acidez gástrica.


c) Limão:

Outra opção saudável para estimular a produção de ácido hidro-clorídrico é consumir de meio a um limão espremido em um copo de água, pouco antes das três principais refeições. Atenção: Não abusar, nem todos os fígados gostam de limão.


d) Tomar um suplemento de ácido clorídrico em gotas, diluído em um copo de água antes das três principais refeições também pode ser uma boa saída. Você deve tomar o número de gotas suficiente para te dar uma leve sensação de queimação e depois subtrair uma gota das dosagens usadas futuramente. Isto ajudará o seu corpo a digerir melhor a sua comida e também auxiliará no extermínio do Helicobacter e na normalização dos seus sintomas.

 

Optimizar o seu nível de vitamina D: 

A vitamina D é essencial para esta condição também porque há provavelmente um componente infeccioso na causa do problema. Uma vez que o seu nível de vitamina D estiver optimizado, você também irá melhorar a sua produção de 200 peptídeos antimicrobiais que ajudarão o seu corpo a erradicar quaisquer infecções indevidas. Além disso, implemente sua alimentação com um bom multi-vitamínico e mineral, garantindo um bom suporte antioxidante e nutricional.


L- carnosina: 

Esse aminoácido se mostra eficiente já desde 1936 quando era usado no tratamento e prevenção da úlcera gástrica. De acordo com estudos recentes, o uso de L- carnosina oral inibiu significantemente erosões tanto no estômago como no duodeno. No Japão, há um complexo com L- carnosina e Zinco (nome genérico Prolaprezinc) que é aprovado como medicação anti-úlcera.

 

Astaxantina: 

Os estudos mostram que este potente antioxidante reduz os sintomas de refluxo quando comparado com um grupo placebo, especialmente nos casos em que há infecção por Helicobacter pylori.


Glutamina: 

Segundo estudos, a lesão gastrointestinal causada pelo H. pylori pode ser tratada com o aminoácido glutamina, encontrado em algumas frutas e vegetais. É possível também usá-la na forma de suplemento, na forma biologicamente activa, e como a L-glutamina.

Temas relacionados:

OMS: a carne é tão perigosa como o tabaco

Ovelha de laboratório e que era luminosa à noite foi parar por "lapso" ao circuito comercial da carne

O açúcar refinado

Astaxantina: Sabe o que é e para que serve?

Bicarbonato de sódio / soda, o remédio caseiro fabuloso das nossas avós

Estudo: Hidratos de carbono, mau para a saúde

O óleo de coco, 10 benefícios

Sabia que o exercício físico chega a ser mais eficaz que os fármacos?

Cravo-da-índia: 11 benefícios (Cravinho)

Babosa/Aloe e mel é eficaz contra o câncer/cancro

10 superalimentos

Valor nutricional do cânhamo

Prebióticos e probióticos: Tantos benefícios

Estudo: Gengibre natural é 10.000 vezes mais eficaz no combate ao cancro que a quimioterapia

 

 

Fontes:

Essen Sie keine Tomaten: Erfahrungen von Patienten in Bezug auf Ursachen der Symptome der Refluxkrankheit

Gesundheit

Cura pelas Plantas

Naturopatia

Dr. Rondó

Dicas de Saúde

Pravda-TV

Notícias Naturais

Zentrum der Gesundheit

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alimentos biológicos e com vitalidade = saúde !

Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates

Países latinos livres de vacinas!

Paracelsus: "O que cura é o amor."


A farmácia é a natureza !


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sabedoria

"Aqueles que pensam que não têm tempo para cuidar de si e da sua alimentação, mais cedo ou mais tarde terão de encontrar tempo para a doença."

Mais sobre mim

foto do autor







Mensagens



Biológico, claro!



Nota:

Este blogue, não visa substituir o seu técnico de saúde de sua confiança!

Sabedoria ancestral

Paracelsus: "O que cura é o amor."

fb