Publicidade: Quase toda a mulher sofre de anemia! Se sente cansada, tome Floradix com ferro

Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



 

1. Eles comiam alimentos da estação e da região

A comida saia no início de 1900 de pequenas fazendas, hortas  e de pequenos mercados, não havia conservantes a não ser o sal e pouco mais, a comida era então fresca e variada. A falta de alimentos processados ​​da sua alimentação fazia com que a refeição fosse rica em nutrientes, assim as pessoas/consumidores tinham os nutrientes de que precisavam.

Para as crianças o leite materno era muito valorizado e sempre estava adequado e nos conformes.

 

2. Eles não faziam dietas, nem submetiam o seu corpo a dietas  restritivas e sem nexo. Eles comiam quando o alimento estava disponível.

Nossos avós não eram vítimas de modas e tendências, da publicidade alimentar, da contagem de calorias e outros hábitos alimentares nocivos, que são agora acessíveis (em parte devido a infra-estrutura de comercialização-publicidade-marketing  que não existia na altura). É por isso que eles tinham um metabolismo saudável e comiam de acordo com as necessidades e fisiologia de seus corpos/organismos.Raramente comiam em excesso, nem existiam adoçantes e doces como hoje existem.

 

3. Eles preparavam a sua comida em casa - usando métodos tradicionais de cozinhar, p.ex. fogão a lenha

Comprar alimentos processados ​​não era uma opção e jantar fora um luxo raro. Felizmente nossos avós não tinham esses maus hábitos e dessa forma tinham acesso a alimentos e formas de cozinhar naturais  o que muito ajudava à sua saúde.

 

4. Eles não comiam  OGM, nem transgénicos, nem aditivos alimentares, nem estabilizantes e nem espessantes

No início de 1900, a alimentação não era tratada com aditivos, nem antibióticos e nem hormonas para aumentar(!) alegadamente a sua durabilidade com custos para a saúde dos consumidores, para encher os cofres dos fabricantes de alimentos(!)-rações para humanos.

 

5. Eles comiam o animal inteiro, comiam muitos legumes e frutas tudo portanto biológico e daí ser tudo rico em minerais

Nada era desperdiçado, tudo era aproveitado. Ao contrário de hoje em dia que se desperdiça mais de 30% de água potável com a agricultura intensiva, nos matadouros e atira-se quase 45% da comida no lixo!

 

6. Eles não iam ao médico quando se sentiam mal e não tomavam quaisquer medicamentos de prescrição

Consultas médicas eram para lesões causadas por acidentes e doenças potencialmente fatais.

Se eles tinham febre, eles simplesmente aguentavam-na. Quando se sentiam doentes, eles comiam sopas, caldos e descansavam e repousavam imenso. Eles não tinham nenhuma tecla de atalho rápido para o médico ou enfermeira e confiavam no processo de cura natural do corpo muito mais do que fazemos hoje em dia. A alimentação era o medicamento independentemente se tinham consciência disso ou não, ao contrário de hoje em dia em que muita da ração humana intoxica e provoca degenerações no organismo humano.

 

7. Eles passavam muito tempo ao ar livre

Nossos avós não tinham a opção de ficar em casa e perder tempo e saúde a brincar com seus telemóveis, computadores ou consolas de jogos. Eles jogaram na "Play-Station" original: pedalar em cima de bicicletas, baloiços e e brincavam na bondosa e pródiga  "Mãe Natureza"!

E trabalhavam conforme as estações, dormiam e repousavam bastante no inverno e dormiam menos e descansavam menos no verão, ou seja seguiam os ritmos naturais do dia e noite.

E o que isto tudo tem a ver com alergias alimentares?

A alimentação afecta todas as células do nosso corpo. A saúde das nossas células depende da dieta e estilo de vida. As células produzem o tecido, o tecido produz o órgão e nós somos feitos de um sistema do órgãos. Se a sua alimentação  é deficiente, então a integridade de cada célula, tecido e cada órgão irá sofrer no seu corpo, e é por isso que você vai reagir sensível (alergia(s) a determinados alimentos.

 

Fontes e literatura:

pravda-tv

 

Biofotões - Novos horizontes na medicina - Princípios de Fritz Albert Popp

 

Desintoxicar em vez de intoxicar - Uwe Karstädt

 

A invisível força nos alimentos, diferenças entre biológicos e não biológicos (convencionais): Visão nos alimentos transgénicos, modificação dos alimentos, imagens cristalizadas na pesquisa de Soyana - A W Dänzer

 

Não te deixes envenenar! Porque os tóxicos nos provocam degenerações e como os podemos evitar -  Joachim Mutter

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alimentos biológicos e com vitalidade = saúde !

Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates

Países latinos livres de vacinas, de rastos químicos e de pesticidas!

Paracelsus: "O que cura é o amor."


2 comentários

De J. António a 05.07.2015 às 01:44

Nunca tinha pensado nisso e agora que li começa a fazer sentido. Minha familia começou a sofrer de alergias após os anos 80 e 90 e as respostas dos centros de saúde e dos hospitais não trazem grande alivio. Agora só falta saber onde há hortas vagas e com água para termos os nossos alimentos livres de tanta porcaria.
Parabens pelo artigo, informou mais agora do que os medicos todos estes anos sem saberem se não receitar medicamentos atras de medicamentos cheios de contra indicações.

De Jana F. a 13.09.2015 às 19:41

A comida na cidade tem não só mau aspecto, sabe mal e ainda temos de pagar para esse horror? Felizmente nós aqui cultivamos quase tudo, o sabor fresco e delicioso faz-nos sentir felizes e satisfeitos.

Comentar post



A farmácia é a natureza !


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sabedoria

"Aqueles que pensam que não têm tempo para cuidar de si e da sua alimentação, mais cedo ou mais tarde terão de encontrar tempo para a doença."

Mais sobre mim

foto do autor


Sondagem

Confia nos hospitais?
 
pollcode.com free polls





Mensagens



Biológico, claro!



Nota:

Este blogue, não visa substituir o seu técnico de saúde de sua confiança!

Sabedoria ancestral

Paracelsus: "O que cura é o amor."

fb