Publicidade: Quase toda a mulher sofre de anemia! Se sente cansada, tome Floradix com ferro

Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



 Estatinas (drogas farmacêuticas) não protegem a saúde, aumentam o risco de Parkinson, diz novo estudo !

Estatinas, colesterol e Parkinson

O uso de estatinas pode acelerar o aparecimento dos sintomas da doença de Parkinson em pessoas suscetíveis à doença.

Embora as estatinas venham sendo objeto de controvérsia na comunidade médica há tempos, este alerta é surpreendente porque algumas pesquisas anteriores sugeriam que esses fármacos, usados contra o colesterol alto, poderiam proteger contra a doença de Parkinson.

Até agora, os estudos nessa área vinham se mostrando inconsistentes, com alguns mostrando um menor risco, alguns não mostrando diferenças e alguns mostrando maior risco de doença de Parkinson entre os usuários de estatinas.

"Uma das razões que podem explicar esses resultados anteriores inconsistentes é que o colesterol elevado, a principal indicação para o uso das estatinas, tem sido relacionado a uma menor ocorrência da doença de Parkinson," explica o Dr. Xuemei Huang, professor de neurologia da Universidade. "Isso tornou difícil saber se o efeito protetor das estatinas era devido à droga ou ao estado preexistente do colesterol."

Outra razão para os resultados inconsistentes é que existem dois tipos de estatinas. As estatinas solúveis em água não conseguem entrar no cérebro, enquanto as estatinas lipossolúveis, chamadas lipofílicas, conseguem. Uma vez que as pessoas com colesterol elevado são tratadas com ambos os tipos, a interpretação dos resultados em relação à doença de Parkinson não é fácil.

 

Estatinas não protegem, aumentam o risco de Parkinson, diz novo estudoFoto: Diário da Saúde

Desta vez, a equipe do Dr. Huang selecionou cerca de 22 mil pessoas com doença de Parkinson entre milhões de pacientes. A seguir, esse número foi reduzido para 2.322 pacientes com doença de Parkinson recém-diagnosticada. Cada paciente de Parkinson foi então pareado aleatoriamente com um paciente do banco de dados que não tinha Parkinson, formando o chamado grupo de controle.

A seguir foram determinados quais pacientes estavam tomando estatinas e por quanto tempo eles tomaram antes do aparecimento dos sintomas da doença de Parkinson.

Foi daí que surgiu o resultado: O uso prévio de estatinas mostrou-se associado a um maior risco da doença de Parkinson, sendo o resultado mais significativo durante o início do uso dessas drogas.

"O uso de estatinas foi associado a um risco de doença de Parkinson mais alto, e não menor, e a associação foi mais forte para as estatinas lipofílicas, uma observação inconsistente com a hipótese atual de que essas estatinas protegem as células nervosas," disse Huang. "Além disso, esta associação foi mais robusta para o uso de estatinas por menos de dois anos e meio, sugerindo que as estatinas podem facilitar o aparecimento da doença de Parkinson".

 

Temas relacionados:

Doença de Parkinson começa no intestino e não no cérebro

Ingredientes que intoxicam o seu cérebro

Metade de 4000 fármacos avaliados são inúteis

Quando medicina e indústria farmacêutica preferem as doenças

Efeitos secundários qb: Não há diferenças entre os genéricos e fármacos de marca

“A campanha do colesterol é o maior escândalo médico do nosso tempo”

Colesterol: Fármacos são completamente inúteis

As estatinas duplicam o risco de diabetes

As doenças inventadas (pelas farmacêuticas)

O nabo e seus benefícios

O chá matcha e seus benefícios

A sopa e suas vantagens

Geleia Real: Tantos benefícios

Canábis/cânhamo para fins medicinais

Jejum e os seus benefícios

 

Fonte:

Diário da Saúde

Zentrum der Gesundheit

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alimentos biológicos e com vitalidade = saúde !

Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates

Países latinos livres de vacinas!

<>


2 comentários

De Joaquim Silva a 21.07.2017 às 08:20

A ciência já não sabe mais o que há-de dizer acerca das drogas farmacêuticas, inventam tudo para nos venderem gato por lebre.
Há mais de vinte anos que deixei de comprar fosse o que fosse na farmácia até porque o dinheiro não sobra para comprar drogas da farmácia.

De José Esteves a 21.07.2017 às 12:35

Com todos os conhecimentos que temos sobre os males que as drogas farmacêuticas ou como agora se chama também fármacos não se compreende porque não se proíbem?
Tudo que tenha efeitos secundários devia ser proibido e jamais permitido ser vendido.

Comentar post



A farmácia é a natureza !


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sabedoria

"Aqueles que pensam que não têm tempo para cuidar de si e da sua alimentação, mais cedo ou mais tarde terão de encontrar tempo para a doença."

Mais sobre mim

foto do autor







Mensagens



Biológico, claro!


Blogsportugal


Nota:

Este blogue, não visa substituir o seu técnico de saúde de sua confiança!

Publicidade:

Sente-se cansada? Sofre de anemia? Tome Floradix com Ferro

facebook