Publicidade: Quase toda a mulher sofre de anemia! Se sente cansada, tome Floradix com ferro

Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A argila

23.01.18

A argila é provavelmente o mais milagroso dos produtos usados para tratamentos desde tempos imemoriais.

É um dos três medicamentos mais antigos e poderosos da humanidade, juntamente com a água e as plantas.

Foto: tudoela (diversos tipos de argila)

 

Mohandras Ghandi, o mahatma, um dos maiores estadistas de todos os tempos, o homem que fez a independência da Índia sem dar um único tiro, é um dos mais famosos adeptos de nossa era do uso da argila como elemento de cura. Assim como incentivou o povo indiano a tecer suas próprias roupas para enfraquecer a poderosa indústria têxtil britânica, também apoiou o uso da argila como medicamento natural e sem custo para a pobre população de seu país.

Foto: greenme

 

Desde tempos imemoráveis que chineses e egípcios legaram, a alquimistas e naturalistas dos quatro cantos do mundo, o poder medicinal da argila/geoterapia. Destes, o conhecimento chegou até nós, como uma medicina/terapia alternativa dentre tantas que surgiram com a «Nova Era».

Outros povos antigos, como os gregos Dioscoride e Galieno, árabe Avicena, teriam feito referências ao uso da argila atribuindo-lhe uma força curadora extraordinária. Isso não quer dizer que eles desconheciam outros medicamentos, pelo contrário, a medicina natural sempre foi e ainda é utilizada por povos de culturas muito antigas, tais como os hindus, chineses, nórdicos, e povos indígenas das Américas.

Na era moderna os grandes naturalistas alemães Kneipp, Kuhn, Just, Felke, dentre outros, foram os que mais contribuíram para o renascimento do emprego da argila no contexto dos tratamentos naturais, e Mahatma Gandhi foi sempre um fiel adepto do uso da medicina natural, chamada na Índia como Medicina Ayurvédica.

Na Suíça e na Alemanha os médicos recomendavam, em Davos, importante centro de tisiologia no início do século IXX, o uso da argila em doentes acometidos por tuberculose. O tórax era totalmente revestido com uma massa de argila bem quente e deixava-se esse cataplasma permanecer por toda a noite. Esse tratamento resultava em curas miraculoras.

O Padre Kneipp transmitiu a indicação de cataplasmas de argila com vinagre para tratamento nas aldeias, a outro naturalista, o antigo livreiro Adolfo Just, que difundiu seu uso em grande escala, e a “terra de Just”, chamada “Luvos" - silicato de alumínio,caulino coloidal, baús, etc. – tornou-se rapidamente conhecida. O médico berlinense Prof. Julius Stumft empregou-a com êxito contra a cólera asiática.

O uso da argila também foi muito utilizado durante a 1ª Guerra Mundial. Os soldados russos recebiam 200 gr. de argila do comando militar.

Em alguns regimentos franceses a mostarda era associada à argila, eliminando totalmente a desinteria que destroçava outros regimentos vizinhos. A argila também era usada na cavalaria para uso veterinário para tratamento de gangrena nos cascos dos cavalos. Os animais também, por instinto, dirigiam-se para a lama de argila para encontrar alívio em seus ferimentos.

A utilização da argila como cura em certas regiões da França era chamada de “Lama dos Cuteleiros”. Sua aplicação era muito usada como resolutivo e contra queimadura do primeiro ao terceiro grau.

 

A argila foi usada como medicina desde os tempos de Homero (século IX a.C.) e de Hipócrates, o pai da Medicina (460-337 a.C.). Jesus também utilizou o barro para curar um cego de nascença (João 9.6). “Na Idade Contemporânea, destacou-se o Dr. Julius Stumpf, médico berlinense, que observou, num cadáver de uma mulher que havia sido enterrada há mais de três anos, que o corpo e as vestimentas estavam perfeitamente conservados. Comprovou-se, então, que a terra argilosa possuía elementos refractários às bactérias e à decomposição, e que poderia ser apropriada para o tratamento de feridas. Sua teoria foi comprovada em 1.886, quando alguns médicos tinham decidido amputar a perna de um paciente devido a uma gangrena causada por um grande abscesso. Como o paciente recusou-se a ter a perna amputada, os médicos decidiram aplicar, segundo as ideias do Dr. Stumpf, a argila directamente sobre o abscesso. Em pouco tempo, o odor fétido desapareceu, e a perna se restabeleceu. Actualmente, está sendo usada em todo o mundo, principalmente na América Latina e Europa”. As plataformas de petróleo a usaram muito, no passado, para purificar a gasolina, devido à capacidade da argila de puxar as impurezas.

 

Muitas vezes foram descobertas terras radioactivas por se observar animais utilizando a lama desses lugares em caso de necessidade. Na floresta siberiana de Ourrouri existe uma importante estação balneária cujas propriedades curativas da terra foram descobertas como resultado de observações feitas sobre animais feridos, tais como: javalis, cabritos, veados, dentre outros, que mergulhavam frequentemente na lama desse local.

Conta-se a estória de um elefante chamado pelo nome de Fil que, com seus congéneres se purgavam com lama de sílico-magnesianas.

Os povos chamados “primitivos” ainda vivem em estreito contacto com a natureza e o uso da argila algumas vezes é usado como moeda corrente. Existem povos geófagos no México, Nas Índias, no Sudão e na América do Sul, principalmente nas populações do alto Orenoco, do Cassiquare, da Meta e do Rio Negro e Solimões. Alguns deles amassam bolinhos redondos e chatos e os secam e cozinham e comem.

Algumas argilas de Sumatra servem de remédio contra diarreias graves, enquanto em Java se utiliza como purgativo. Nas Filipinas usa-se para todas as infecções intestinais. No Sudão julgam-na mais eficaz contra a sífilis.

As mulheres grávidas sentem desejo de rolar na lama e algumas até comem pedaços de artefactos feitos de barro, mesmo nas cidades, como instinto natural.

A técnica de cura através da argila só não é mais disseminada nos países latinos, devido aos nefastos interesses financeiros da indústria farmacêutica internacional que subjuga os sistema de saúde/doença.

A argila, passível de ser encontrada em todos os territórios latinos, pode ser aplicada interna e externamente para a cura dos mais variados sintomas. Ela apresenta os seguintes efeitos medicinais específicos:

 

Uso interno:
anti-inflamatória;
cicatrizante;
absorvente;
desintoxicante;
anticatarral
vermífuga;
normalizadora da digestão e da excreção;
antidiarreico e obstipante;
analgésica.

 

Uso externo:
anti-inflamatória;
anti-séptica;
absorvente;
anti-reumática;
anti-infecciosa;
analgésica;
anti-traumática;
cicatrizante;
anti-tumoral;
desobstruente;
antitóxica;
emoliente;
reguladora orgânica;
tonificadora;
estimulante;
vitalizante;
refrescante.

 

"Aplicando argila, por mim mesmo retirada do solo, do seio da Mata Atlântica, já debelei sintomas de cancro/câncer de útero, de câncer de pele, de problemas digestivos, úlceras varicosas, psoríase, micoses, artrite, artrose, queimaduras, picadas de insectos, furúnculos, sinusite, enxaqueca, dores musculares e ciáticas",  diz Michel Maier em Thomis Aurea

A esta técnica, denomino Terapia Alquímica, a cura pela transmutação.

“Terra simbólica que contém os germes das rosas e dos lírios, do lugar onde essas flores se abrem perpetuamente, jardins filosóficos cuja entrada não é conhecida por nenhum intruso” .

 

A argila, diferente da areia e da terra, pelo formato e tamanho dos grãos, é um tipo de rocha sedimentar originária da lenta erosão dos granitos. Destaca-se por sua subtileza, pois pode ser modelada. Nada mais é do que uma pedra que amoleceu sob a acção de condições geológicas e atmosféricas. Tem como compostos geológicos principais o quartzo,o feldspato e a mica, enquanto dentre seus componentes químicos, destaca-se o silicato de alumínio hidratado, associado a uma grande quantidade de minerais característicos da região onde é encontrada. Os mais comuns são sílica, alumínio, ferro, cálcio, sódio, potássio, magnésio e titânio.

Fora os aspectos materiais, a argila apresenta uma tríplice energia condensada.
A energia telúrica, originária do magnetismo do planeta, a energia absorvida dos raios solares e a energia intrínseca da região onde ela é colectada.

De acordo com o Dr. Márcio Bontempo, um dos maiores pesquisadores brasileiros na área das terapias naturais, “as energias são determinantes muito mais importantes no tocante às propriedades terapêuticas da argila”. Elas têm como efeitos principais:

- Troca de energia com a área afectada;
- Equilíbrio térmico;
- Ação vitalizante;
- Ação anti-radioativa.

 

Outras propriedades da argila:
* Bactericida – Microorganismos contidos nela, entrando em contato com bactérias, se multiplicam milhões de vezes, destruindo-as muito mais rápido do que a capacidade que as bactérias têm de agir, eliminando, assim, qualquer infecção.
* Refrescante – Retém calor muito rapidamente, absorvendo o que chamamos de febre interna, descongestionando os órgãos e eliminado dores e mal-estar em geral.
* Cicatrizante – Cicatriza não só feridas, como também queimaduras, muitas vezes eliminando completamente as cicatrizes.
* Calmante, desinfetante – Permite o equilíbrio total do corpo. Funciona na maioria das doenças.

 

A argila deve periodicamente ser exposta ao Sol para absorver sua energia.

Na prática, a argila absorve toda a energia negativa (doente) do sintoma e transfere-lhe uma acção vitalizante.

A argila é dotada de uma inteligência, originária do Sol, que a faz transferir para o órgão afectado do paciente exactamente os elementos minerais que o mesmo necessita para retomar o seu bom funcionamento.

Sua coloração é variável e depende da predominância de um determinado tipo de mineral em sua composição.

Assim, alguns autores recomendam a aplicação da argila para cada tipo de sintoma de acordo com sua coloração. Entendemos que isto seria o ideal. No entanto, como só trabalhamos com argila por nós retirada do solo e tendo em vista a dificuldade de encontrar, na região, isentas de poluição, todas as cores, elegemos a cinza, como uma argila intermediária que se aplica a todos os sintomas. De acordo, também, com o Dr. Márcio Bontempo, “a melhor argila de todas é uma de tonalidade cinza/roxa, muito conhecida como tabatinga no interior do Brasil”.

No Sítio Xangrilá, em Sete Barras, no Vale do Ribeira, interior de São Paulo, dispomos de 20 alqueires de argila cinza e de algumas pequenas jazidas de cor creme, com uma presença maior de ferro.

A argila deve, sempre, ser manipulada com instrumentos de madeira, vidro ou barro. Para retirá-la do solo utilizamos cavadeira e pá de madeira, enquanto que a moemos em pilão do mesmo material. Deve ser secada ao sol, em estaleiros de madeira e armazenada em sacos de tecidos naturais ou recipientes de vidro ou barro. Para seu manuseio e aplicação usamos colheres de pau, vasilhas e copos de vidro. Na sua preparação é aconselhável o uso de água de fonte ou poço, isentas de tratamentos químicos.

A sua preparação para uso interno (“água de argila”) é feita da seguinte maneira: enche-se um copo de vidro, de tamanho médio, com água o mais natural possível. Com uma pequena colher de pau, coloca-se na água o equivalente a uma colher de chá de argila. Mexe-se pelo menos 50 vezes para activar sua energia. Deixa-se descansar por 8 a 10 horas. Bebe-se somente a água, deixando a argila decantada no fundo do copo. Nunca se deve reaproveitar a argila.

Ainda para uso interno ela pode ser usada na forma de pequenas bolinhas secas ao sol ou inserida em cápsulas de gelatina. Nossa preferência, no entanto, é para “água de argila”. Pessoas acostumadas ao seu uso passam a ingeri-la logo após agitá-la, sem esperar o período de decantação, tomando o pó da argila misturado à água. Para casos de afecções na boca ou dor de garganta, fazem-se gargarejos. Pessoas com sintomas de prisão de ventre cronica bem como aquelas que estão tomando medicação alopática ou homeopática não devem ingerir argila, pois tirará o efeito dos mesmos.

Para uso externo, a argila pode ser aplicada na forma de máscaras, cataplasmas e banhos.

Sua preparação é feita numa vasilha de vidro ou de barro. Usa-se uma colher de pau para mexer a argila misturada à água (nunca usar água quimicamente tratada) até que ela adquira uma consistência pastosa, como uma massa de bolo.

Máscaras são finas camadas aplicadas com uma espátula de madeira ou pincel directamente sobre a pele. Normalmente são aplicadas no rosto para tratamento da pele ou para atingir regiões subcutâneas. Devem ficar sobre a pele até que sequem completamente. São removidas lavando-se a região com água.

Cataplasmas devem ser aplicadas para atingir áreas mais profundas do corpo. São camadas de argila de, no mínimo dois centímetros, que postas sobre um fino pano de tecido natural (algodão ou linho), devem permanecer cobertas por outro pano sobre o corpo, no mínimo por duas horas. Quanto mais espessa for a camada de argila mais profundidade teremos na sua actuação. Normalmente, na preparação de cataplasmas, usa-se água na temperatura ambiente. Nunca se aplica cataplasmas logo após as refeições. Deve-se observar sempre o tempo do processo digestivo para, após, aplicá-las. Podem ser preparadas com água morna ou quente (não ferver) para aplicação em idosos, pessoas debilitadas ou em dias de frio intenso. Podem ser cobertas, também, com um cobertor para manter a temperatura. Os tratamentos com cataplasmas devem durar 21 dias e se houver necessidade de repeti-los, observar um intervalo de 7 dias. Após duas horas, ao se retirar a cataplasma, nota-se uma elevação na temperatura da argila o que indica que a mesma retirou do órgão afectado a energia negativa. Um cuidado especial deve ser tomado para se livrar desta argila que nunca, em hipótese alguma, deve ser reaproveitada ou permanecer em locais onde possa vir a ser tocada por alguém. A pessoa que a retirar deve, também, lavar muito bem suas mãos com água corrente.

Banhos de argila são uma alternativa válida para casos de doenças crónicas, estresse ou para pessoas que necessitem de uma renovação energética. Podem ser feitos em uma banheira com água natural onde se mistura, em média, uma colher de argila para cada litro d’água.
Seguindo um costume indígena, pode-se, também, levar a pessoa até um sítio onde haja argila em abundância e enterrá-la (se as suas condições físicas permitirem) deixando somente a cabeça de fora. Este procedimento é de grande valia para casos agudos.

É importante observar que a argiloterapia não obedece a um manual científico de aplicação. Sua técnica segue alguns preceitos básicos, mas é aplicada de acordo com a experiência de cada terapeuta. Assim, deve sempre prevalecer a observação e o bom senso.

 

ARGILA VERDE

A argila verde é a mais conhecida e não é à toa, ela possui a maior diversidade de elementos. É óptima para tratar acne, diminuir a oleosidade da pele e do cabelo pois tem propriedades adstringentes (limpa profundamente), indicada também para tratamento de abcessos e inchaços, pois é tonificante, e estimulante (estimula a circulação sanguínea).

A argila verde é composta por montmoríllonite e ilite e deve a sua coloração à presença de óxido de ferro associado a outros oligoelementos como magnésio, cálcio, potássio, manganês, fósforo, zinco, alumínio, silício, cobre, selénio, cobalto e molibdénio. Pode ser tomada oralmente ou usada topicamente para um grande número de problemas. A ilite é um desintoxicante poderoso com uma enorme capacidade de absorção. Extrai as impurezas do organismo enquanto os minerais da argila são absorvidos selectivamente por este em função das suas necessidades para restabelecer a saúde. A argila verde é absorvente, analgésica, anti-edematosa, bactericida, cicatrizante, desintoxicante, remineralizante, revitalizante, regeneradora, anti-séptica, bactericida, cicatrizante e exfoliante. Elimina toxinas e impurezas e favorece a renovação celular. Permite o aporte à pele e ao organismo de minerais e oligoelementos. É recomendada para peles normais e oleosas por ser muito eficaz a absorver o excesso de sebo. Pode igualmente ser utilizada em máscara capilar para regular a produção de sebo em cabelos com tendência oleosa. Possui propriedades analgésicas e anti-inflamatórias relevantes no alívio de dores articulares e musculares, descongestionando as zonas afectadas. É benéfica na flatulência e outros problemas abdominais. Melhora ainda a circulação sanguínea periférica.

 

ARGILA BRANCA

Apesar de ser fácil de encontrar, ela não é muito conhecida. Suas propriedades fazem dela uma óptima solução para pele manchadas e sensíveis (devido ao seu pH bem próximo ao da pele). Limpa e absorve a oleosidade sem ressecar, hidratação intensa, calmantes, anti-inflamatórias, cicatrizantes e clareadoras. Entre a variedade de argilas, a branca é a mais suave de todas.

Foto: josesilvioandrade7

 

ARGILA VERMELHA

Entre suas muitas qualidades, a que mais se destaca é a de redução de medidas, sendo assim, muito usada no corpo todo, desde pernas, até barriga. Além disso, a argila vermelha hidrata, nutre, previne o envelhecimento da pele e ainda tem propriedades anti-estressantes e estimulantes (estimula a circulação sanguínea).

 

ARGILA ROSA

Assim como a cor rosa, a argila é uma mistura de argila branca com vermelha, tendo assim os benefícios das duas: acção clareadora, propriedades calmantes, cicatrizantes, anti-inflamatórias, hidratantes e anti-envelhecimento.

 

ARGILA AMARELA

A argila amarela é recomendada para peles mais enrugadas, maduras e desvitalizadas, por ser cheia de elementos responsáveis pela formação da base de colágeno, aumentar a elasticidade da pele, combater e retardar o envelhecimento, reduzindo rugas e inflamações, ela tem ainda efeito tensor, ou seja, ajuda a combater a flacidez cutânea.

 

ARGILA ROXA

Semelhante às propriedades da argila amarela, a roxa tem também propriedades rejuvenescedoras, auxiliando na tonificação e suavização da pele, dando firmeza à pele. Indicada para uso facial.

 

ARGILA CINZA

Possui enxofre em sua composição, e por isso tem efeitos bem eficazes e fortes. Possui propriedades clareadoras, antioxidantes, anti-envelhecimento além de ajudar no combate à acne. Recomendada para peles oleosas, maduras e manchadas, que não sejam propriamente sensíveis.

 

ARGILA NEGRA

Mais difícil de encontrar por ser tremendamente eficaz e considerada “nobre”, possui acções anti-inflamatória, anti-estressante, rejuvenescedora e estimulante. Usada em tratamento no corpo todo, é especialmente recomendada para o tratamento de doenças como artrite e artrose.

 

ARGILA CASTANHA/MARROM

Entre as várias argila, a mais pura, óptima para a manutenção dos tecidos, combate à peles oleosas e acne, além de ter efeito rejuvenescedor.

Os usos das argilas são muitos, este é apenas um exemplo, um método delicioso para se cuidar.

 

Uso interno:

Para evitar pequenos incidentes que por ventura venham a surgir no começo do uso da argila, é preferível beber, a princípio, água argilosa, deixando o depósito no fundo do copo.Para isso, deve-se usar uma argila estéril e virgem, de boa procedência, coloca-se uma colher num copo d’água mistura-se e espera-se a argila assentar no fundo do copo.

Tudo o que é doentio, portanto emissor de radiações vegetativas, é atraído para a argila, irradiando para o pólo positivo. Depois a eliminação é rápida, a menos que a importância dos resíduos assim drenados para os intestinos ocasionem alguma perturbação, tornando-se necessária a intervenção o mais rapidamente possível por uma medicação laxativa indicada por um técnico de saúde.

Uma das particularidades da argila reside no domínio psico-químico. Do ponto de vista termodinâmico, admite-se que não constitui a única fonte de energia dos fenómenos que desencadeia. Mais do que pelas substâncias que encerra, a argila age pela sua presença viva, vinda directamente da natureza.

Existem substâncias que não se destroem ou agridem; são as diástases ou enzimas de que a argila deve ser excepcionalmente rica. Algumas dessas diástases, as oxyiases, têm o poder de fixar o oxigénio livre, o que explicaria a acção purificadora e enriquecedora da argila sobre o organismo. O conhecimento dessas propriedades seria, contudo, insuficiente para a explicação do poder de acção da argila se não soubéssemos ainda que é um poderoso agente de estimulação, de transformação e de transmissão de energia.

Como cada partícula de limalha proveniente de um ímã guarda as suas propriedades, cada parcela de argila transporta uma energia considerável por causa do seu magnetismo e das radiações que tem acumuladas, trazendo ao organismo uma reserva de força extraordinária. Essa acção radiante contribui para a reconstituição de um potencial vital, pela libertação de energia latente. Temos em nós extraordinárias fontes enérgicas que mantemos adormecidas; a argila as desperta.

Faz-se necessário não confundirmos essa forma de acção com o efeito das bebidas ou alimentos excitantes que não agem sobre o potencial energético, mas apenas sobre a energia reservada para os próximos dias, podendo levar a pessoa a ter algum dano nesse próximo futuro. Já a argila participa da simbiose desses dois indivíduos de espécie diferente, com benefício mútuo.

 

 

Uso externo:

Abster-se de empregar argilas preparadas, cozidas ou associadas a substâncias não naturais. Pela sua inércia, esses pós-mortos poderiam constituir um perigo de oclusão.

A cor da argila tem a sua importância, do mesmo modo que tem importância a sua conveniência. Normalmente a argila da região de floresta virgem é a melhor para utilização em cura.A argila pode ser usada via oral: diluída em água; ou como emplastro ou cataplasma aplicada na região da dor, no baixo ventre em caso de febre ou no tórax em caso de tosse excessiva.

Pode-se usar como bolinhas para chupar como rebuçados/balas ou bombons.Aconselha-se que se a pessoa quer fazer uso da terapia natural, que tenha também hábitos naturais como alimentação vegetariana, não ingestão de álcool, tabaco ou outro tipo de droga, para que se tenha um resultado mais eficaz.

Para o uso externo, deve-se preparar a argila em um recipiente que não seja de metal, excepto aço inoxidável. O ideal também é se preparar a argila na hora em que for usá-la.

Não se deve reaproveitar a argila já utilizada, por ser um elemento que contem radioactividade, ela absorve a radioactividade maligna da doença ou da dor, e se for reaproveitada essa dor pode retornar para a pessoa. Se a pessoa for reaproveitar a argila já utilizada deve tomar a precaução de devolve-la à natureza, ou seja, coloque-a em um lugar aberto, tomando o cuidado de cobrir o recipiente com uma gaze, para que peque a luz solar durante pelo menos 7 dias.

Se for usar a argila aquecida não a leve directamente ao fogo, aqueça-a em “banho Maria”. Micro-ondas então é totalmente desaconselhável para uso em qualquer terapia natural, inclusive sua utilização nos alimentos.

 

Ter em atenção:

A primeira acção da argila é a drenagem dos princípios mórbidos do local tratado. Portanto é conveniente seguir alguns cuidados prévios:

1 – Fazer uso de alimentação vegetariana que, por ser laxativa e natural, produz a desintoxicação dos intestinos.

2 – Deve-se evitar a aplicação em feridas abertas.

3 – Começar por aplicações de 20 min. e em camadas não muito espessas (mais ou menos 1 cm).

 

Baixo ventre 

Sendo o baixo-ventre o centro de fermentações, geralmente origem de elevação de temperatura do corpo – Febre - o cataplasma de argila pode ser aplicado frio (temperatura ambiente) em camada espessa (mais ou menos 2cm) sobre uma gaze e envolver com uma atadura, deixando por, pelo menos 1 hora. Após retirar a argila esta não deverá ser reutilizada.

Se houver necessidade, aplicar nova camada até a febre baixar.

A aplicação da argila no baixo ventre pode ser usada também para alívio de dores, tais como cólicas menstruais ou de outra natureza. Nesses casos, a argila deverá ser usada com água aquecida.

 

 

Boca – Dentes 

Alguns povos do interior, na falta de dentífrico, utilizam a argila para a higiene de seus dentes e gengivas, algumas vezes misturadas com folhas de hortelã esmagadas para dar perfume.

 

O uso interno da argila pode ser feito de 3 maneiras:

• Colocar uma colher (madeira/porcelana/vidro) de café de argila, de granulometria fina, num copo de água pura (da nascente). Mexer e tomar lentamente, em pequenos goles. É especialmente indicado para problemas agudos.

• Beber água de argila. Dissolver uma colher de café de argila num copo de água e deixar assentar durante algumas horas. Beber depois o conteúdo do copo até chegar ao pó depositado no fundo. Tomar em jejum ou com um intervalo de duas horas das refeições.

• Colocar a argila directamente na boca e deixá-la dissolver lentamente. Este modo de aplicação fortalece as gengivas, fortifica o esmalte dos dentes e facilita a digestão.

 

Nota bene:

Nunca utilizar colheres metálicas ou de plástico. 

Por que não usar nada de metal?
Porque se você usar metal, a argila perderá as suas propriedades.

 

A longevidade de alguns povos do Caucaso e do norte da Sibéria, deve-se ao uso frequente de consumo de argila para a saúde. 

 

É normal, no início dos tratamentos, parecer ocorrer um agravamento dos sintomas. Tal deve-se à libertação das toxinas do organismo.

Alguns problemas graves exigem argila fria 24 horas por dia (o cataplasma vai sendo sempre renovado) como por exemplo no caso de gangrena do pé onde os tecidos começam a morrer; tenho conhecimento de casos como estes ( gangrena no pé) onde o médico ia amputar, mas com um mês de argila fria 24 horas por dia, os tecidos se renovaram e o pé foi salvo. (Nova Era)

Desde a cura de feridas e ulcerações até à redução de acidez gástrica e tumores, é inesgotável o espectro de resultados que podem obter-se a partir da argila, tanto no campo da saúde como no da estética. A argila tem-se provado eficiente no tratamento de artroses, diarreia, dermatoses, tiroidismo, reumatismo, úlceras e até cancro. Também é eficaz na:

acumulação de gases,

parasitoses,

hepatites,

fissuras e fístulas anais,

gengivites e estomatites (principalmente as causadas por tabaco, álcool, pastilhas elásticas e guloseimas artificiais),

asma,

sinusite,

otite,

alergias diversas,

tuberculose,

pleurisia,

pneumonia, 

queimaduras,

zona,

herpes,

furúnculos,

acne,

pruridos e eczemas,

taquicardia,

arteriosclerose,

angina de peito,

reumatismo,

gota,

infecções urinárias ou renais,

hemorróidas,

varizes,

celulite e redução de rugas... etc.

A argila, em conjunto com alteração de hábitos alimentares e higiene mental e emocional pode tratar e curar as doenças mais difíceis deste planeta, mesmo cancro/câncer, malária, leucemia... Para isso é preciso apostar muitos meses de terapia com disciplina. Sem isso a evolução será irregular e insatisfatória.

A mistura de argila com aloé, também é uma excelente mistura e tem propriedades medicinais extraordinárias em algumas doenças.
A saúde está nas suas mãos, dedique todos os dias uns minutos a ela e desse modo evita muitas maleitas.

 

Temas relacionados:

Argila Bentonita: Benefícios e formas de usar

Bicarbonato de sódio: Remove resíduos de pesticidas

Prata coloidal: Sabe o que é para que serve?

MMS: Sabe o que é e para que serve?

Bicarbonato de sódio / soda, o remédio caseiro fabuloso das nossas avós

Bórax/Boro/Borato de sódio: Uso medicinal alternativo

Urinoterapia

 

 Fontes:

Dr. Márcio Bontempo - Medicinas Alternativas

Medicina Natural

Naturopatia

Saúde Integral

Solange Christtine Ventura

Autoria e outros dados (tags, etc)

Alimentos biológicos e com vitalidade = saúde !

Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates

Países latinos livres de vacinas, de rastos químicos e de pesticidas!

Paracelsus: "O que cura é o amor."


6 comentários

De Anónimo a 23.01.2018 às 22:35

Excelente artigo. Adorei. Continue seu excelente trabalho.

De Anónimo a 30.01.2018 às 08:14

A eficácia da argila contra o cancro é surpreendente e não conheço nada melhor que a argila.

De Argila a 30.01.2018 às 08:27

A argila é o único medicamento eficaz e barato contra o cancro.

De Anónimo a 30.01.2018 às 08:21

Os povos antigos conheciam as propriedades curativas da terra e a usavam constantemente como remédio tanto externo como interno. Podemos assegurar que desde os tempos de Hipócrates até aos dias de hoje, a terra tem sido empregada como fator essencial em vários produtos farmacêuticos, sob nomes diferentes, tais como: Caulim, Balus, Silicato de Alumínio.

A Terra é um elemento de vida importantíssimo para a nossa saúde, mas infelizmente temos tido enormes prejuízos ao nos afastarmos da natureza e fazer uso de produtos artificiais.

Se pensarmos um pouco, compreenderíamos que devemos nosso corpo físico e a nossa vida a Terra, pois tudo o que necessitamos para viver provem dela, seja no reino vegetal ou mineral. O ser humano é por excelência um produto da Terra. “E formou o Senhor Deus ao homem do pó da Terra, e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem foi feito alma vivente”. Genesis 2:27 – Bíblia Sagrada.

Certa vez um menino foi picado por praticamente todas as vespas de uma colmeia. E o fato foi tão grave que o menino não suportaria chegar com vida até a cidade para ser socorrido a tempo. Por sorte, dentre aquelas pessoas existia alguém que conhecia as propriedades curativas do barro. Por sua sugestão cavaram um buraco e enterraram o menino, deixando apenas o nariz para fora. Devido ao veneno, o menino estava desmaiado. Passado algum tempo ele voltou a si e, chorando, quis sair, mas tendo sido convencido, ficou mais algum tempo. Algum tempo depois o garoto foi retirado dali e em seguida foi brincar com as outras crianças. Já não restava sequer algum sinal das picadas dos insetos.

APLICAÇÃO DA GEOTERAPIA

Em primeiro lugar, é preciso saber que qualquer tipo de barro serve para as aplicações, contanto que seja limpo e extraído abaixo do húmus. Alguns autores recomendam unicamente a argila, mas qualquer outro tipo de barro é igualmente essencial. De qualquer cor. Bastando que não tenha pedriscos, saibro ou impurezas.

Recomendações: Alguns cuidados importantes devem ser adotados antes de utilizar o barro em quaisquer aplicações:
•Na hora de extrair o barro do solo, se você percebe que há algum barranco na beira de estrada, onde máquinas escavaram, é um bom lugar para extrair barro profundo. Cave aproximadamente um metro horizontalmente, contra o barranco e terá um barro de ótima qualidade. Lembrando que se tiver saibro, fósseis, pedriscos ou qualquer tipo de húmus este barro não serve para as aplicações.
•Com uma peneira fina, coe esta terra para extrair possíveis pedrinhas, raízes ou qualquer outro material inconveniente.
•Ferva água e misture no barro já coado, tomando o cuidado para não ficar muito úmido. Deve-se preparar uma massa argilosa, mas não pode estar escorrendo água.
•Cobre-se a pele do paciente com uma camada de quatro a cinco cm de espessura para aplicar por algumas horas. No caso de passar a noite, uma camada de dois cm é o suficiente.
•Para a armazenagem, utilize recipiente de vidro, madeira ou louça. Nunca use recipiente de plástico ou metálico.

USO INTERNO

A argila pode ser ingerida constantemente ou durante um longo período de tempo, até meses. Essencial para o emagrecimento, pois retém o excesso de gordura, não deixando que a mesma seja absorvida pelo corpo. Sua eficácia também pode ser comprovada para gastrites, úlceras, casos crônicos de catarro estomacal, abscessos no estômago, dilatação com fermentações anormais, arrotos, flatulências, desinflamante do conjunto intestinal, estimula os movimentos peristálticos, dor de cabeça, nevralgias, cansaço geral, moléstias respiratórias e cardíacas e perturbação na circulação do sangue, bem como a maioria das doenças existentes, inclusive nas citadas anteriormente neste capítulo.


De Anónimo a 30.01.2018 às 08:25

Há milhares de anos, a argila é utilizada como um medicamento natural.


O poder de cura do barro é muito extenso, especialmente para tratar dores.


Você sofre com dores nas costas, joelhos e articulações?


Para muitos, a argila é o melhor remédio natural para esses problemas.


No barro encontramos uma vasta quantidade de elementos terapêuticos, como potássio, silício, cálcio, sódio, ferro, magnésio e cobre e chumbo.


A argila é também usada para curar feridas e problemas de pele, melhorar a circulação e restabelecer o funcionamento e o equilíbrio de diversos órgãos.


Como usar a argila?


Para aliviar a dor nas costas, misture argila e vinagre.


Em primeiro lugar, misture o barro com vinagre ou com vinagre que foi previamente diluído com água.


Adicione folhas de urtiga (vende-se em lojas de produtos naturais) a esta mistura.


Depois de misturar todos os elementos, coloque a mistura em um pano.


Por sete dias seguidos, você deve fazer e aplicar esta mistura argila, na forma de cataplasma, sobre o local dolorido.

De Anónimo a 30.01.2018 às 08:54

Há milhares de anos, a argila é utilizada como um medicamento natural.


O poder de cura do barro é muito extenso, especialmente para tratar dores.


Você sofre com dores nas costas, joelhos e articulações?


Para muitos, a argila é o melhor remédio natural para esses problemas.


No barro encontramos uma vasta quantidade de elementos terapêuticos, como potássio, silício, cálcio, sódio, ferro, magnésio e cobre e chumbo.


A argila é também usada para curar feridas e problemas de pele, melhorar a circulação e restabelecer o funcionamento e o equilíbrio de diversos órgãos.


Como usar a argila?


Para aliviar a dor nas costas, misture argila e vinagre.


Em primeiro lugar, misture o barro com vinagre ou com vinagre que foi previamente diluído com água.


Adicione folhas de urtiga (vende-se em lojas de produtos naturais) a esta mistura.


Depois de misturar todos os elementos, coloque a mistura em um pano.


Por sete dias seguidos, você deve fazer e aplicar esta mistura argila, na forma de cataplasma, sobre o local dolorido.

Comentar post



A farmácia é a natureza !


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Sabedoria

"Aqueles que pensam que não têm tempo para cuidar de si e da sua alimentação, mais cedo ou mais tarde terão de encontrar tempo para a doença."

Mais sobre mim

foto do autor







Mensagens



Biológico, claro!



Nota:

Este blogue, não visa substituir o seu técnico de saúde de sua confiança!

Sabedoria ancestral

Paracelsus: "O que cura é o amor."

fb